Planos antigos terão reajuste de até 9,94%, segundo ANS

Simone Iwasso - O Estado de S.Paulo

Operadoras que assinaram termos de compromisso com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para seus planos antigos, feitos antes da lei que regulamentou o setor em 1999, poderão reajustar os contratos em até 9,94%. O valor, divulgado ontem pela agência, é o menor desde 2005.O aumento de 9,94% é válido para as seguradoras em saúde Bradesco, SulAmérica e Itauseg. Para as empresas de medicina de grupo Amil e Golden, o reajuste ficou em 6,64%. O anúncio atinge cerca de 755 mil beneficiários em todo o País. As mudanças nos preços deverão entrar em vigor na data de aniversário dos contratos.A tendência de queda já era esperada pelos clientes. Isso porque neste ano os planos novos tiveram o menor reajuste da história da ANS: 5,76%. Mesmo assim, o valor ainda foi superior à inflação dos últimos 12 meses. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do IBGE, acumulado no período, é de 3,18%.A explicação da agência para a diferença é a de que a inflação dos custos e produtos médicos costuma ser acima da registrada nos demais setores. Mesmo assim, órgãos de defesa do consumidor consideram os índices acima da inflação abusivos. Para calcular o reajuste, a ANS leva em conta a Variação dos Custos Médico-Hospitalares (VCMH) das operadoras com mais de 100 mil clientes. São analisados exames, terapias, internações, atendimentos ambulatoriais e demais despesas assistenciais. A ANS disponibiliza o telefone 0800-701- 9656 para dúvidas.