Petrobrás diz que há motivos para comemorar

Giovana Girardi - O Estado de S.Paulo

A Petrobrás convocou uma entrevista coletiva há duas semanas para anunciar o sucesso do acordo fechado entre a empresa, as montadoras, o governo e o Ministério Público Federal no final do ano passado. Diante dos números de mortes obtidos pelo cálculo da USP, o ?Estado? pediu um novo posicionamento da empresa. Por e-mail, o diretor de Abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, respondeu que a companhia está fazendo sua parte "disponibilizando um combustível para veículos que nem existem ainda e investindo pesado na qualidade de seus combustíveis". Segundo ele, a empresa considera ter sido "uma vitória juntar todas as partes envolvidas em um acordo que beneficiará a população". E complementou: "Reiteramos que a qualidade do ar é influenciada por diversos fatores, como idade e tamanho da frota automotora, tecnologia dos motores, sistema viário, condição de manutenção da frota, programas de inspeção e renovação da frota, entre outros." Costa afirmou ainda que, segundo os cálculos da empresa, o acordo permitirá uma redução de mais de 8 milhões de toneladas de NOX até 2036, obtido pela antecipação da fase P-7. Sobre o material particulado todas as ações previstas no acordo, ainda segundo ele, mitigarão um eventual impacto ambiental de 60 mil toneladas até 2036. "É importante salientar, mais uma vez, que apenas o combustível não reduz a poluição aos níveis estabelecidos na resolução. É preciso ter motores e veículos equipados com sistemas de escapamento com filtros especiais constituídos de ureia líquida que ainda não está disponível no Brasil", disse. De acordo com o executivo, hoje a companhia entrega 60 mil m³ de diesel/mês para São Paulo e 30 mil m³ para o Rio de Janeiro, correspondendo a 30% do diesel consumido em cada uma das capitais. Pelo cronograma acertado com o Ministério Público, a partir de maio deste ano o diesel S-50 estará disponível também para toda a frota de veículos metropolitanos em Fortaleza (CE), Recife (PE) e Belém (PA). Em agosto, a frota de ônibus de Curitiba (PR) receberá o diesel mais limpo. Em janeiro do ano que vem é a vez das frotas cativas de ônibus urbanos de Porto Alegre (RS), Belo Horizonte (MG) e Salvador (BA) e da Região Metropolitana de São Paulo. Em janeiro de 2011, o combustível será fornecido também às frotas cativas de ônibus urbanos para as regiões metropolitanas da Baixada Santista, de Campinas e de São José dos Campos, em SP, e do Rio de Janeiro. Quanto ao diesel interior, que até o final do ano passado tinha a concentração de 2.000 ppm, neste ano a empresa se comprometeu a substitui-lo todo pelo S-1.800. Gradativamente, até 2014, ele será trocado pelo S-500. O S-10, que vai abastecer a frota P-7, entra em circulação em 2013.