Paulistas podem não usar nota

Renata Cafardo - O Estado de S.Paulo

As universidades estaduais paulistas podem deixar de usar a nota do Enem com a mudança da realização da prova de agosto para outubro. Atualmente, o desempenho no exame equivale a 20% dos vestibulares da Universidade de São Paulo (USP), Estadual Paulista (Unesp) e Estadual de Campinas (Unicamp). Segundo coordenadores dos exames, o problema seria operacional, já que o MEC precisa enviar às instituições as notas dos alunos no Enem para serem acrescentadas ao desempenho deles no vestibular. "Com a mudança, precisamos repensar o que fazer. Se demorar o mesmo que demora hoje, não poderemos usar a nota do Enem", diz o coordenador do vestibular da Unicamp, Leandro Tessler. Segundo ele, as provas atualmente são feitas em agosto e as notas dos alunos só chegam em novembro.Os três meses equivaleriam a receber as notas apenas em janeiro, ou seja, depois que o resultado da primeira fase já tivesse sido divulgado. O problema é que os aprovados só são definidos a partir do cálculo dos pontos da prova com os do Enem. A pontuação do candidato no Enem contribui também para o bônus dado a alunos de escolas públicas.Oficialmente, a USP informou que continuará usando a nota do Enem na Fuvest. Mas fontes ouvidas pelo Estado dizem que a mudança na data pode, sim, inviabilizar o uso da nota.Há nas universidades quem acredite que o novo Enem equivalerá a um vestibular, perdendo seu caráter não conteudista. Assim, não faria sentido ser usado como complemento.Outro problema, segundo Tessler, é o fato de as universidades permitirem que os vestibulandos usem notas de Enem de anos anteriores. "Como agora vai mudar a prova, fica difícil essa comparabilidade", explica.