Pastor da Universal acusado de estelionato

Chico Siqueira - O Estado de S.Paulo

A Polícia Civil de Araçatuba (a 530 km de São Paulo) investiga o pastor Marcos Paulo Borges Boeno, da Igreja Universal do Reino de Deus, acusado de estelionato porque teria convencido a cabeleireira Simone Vitório, de 29 anos, a doar R$ 3 mil em troca de uma bênção para "curar" as dificuldades enfrentadas por sua família. Simone retirou R$ 2,8 mil da poupança mantida pelo marido e R$ 200 reservados para pagar o aluguel e entregou ao pastor, com a promessa de receber o dinheiro de volta caso seu marido, o padeiro Aparecido Vitório, discordasse. A doação foi feita durante a campanha "Fogueira Santa de Israel", no último domingo de julho. No dia seguinte, ao saber da doação, Vitório ficou revoltado porque o dinheiro vinha sendo economizado por ele e a mulher havia mais de dois anos e o casal estava sem recursos para pagar o aluguel da casa. "Fiquei tranqüila porque o pastor tinha dado sua palavra de ?homem de Deus? que devolveria o dinheiro. Mas não foi o que aconteceu", diz Simone. O casal passou a procurar o pastor para receber o dinheiro de volta, sem sucesso, até que, nesta semana, o casal foi à polícia. O delegado Vilson Disposti diz que o pastor usou a fragilidade da cabeleireira para forçá-la a entregar o dinheiro. Segundo Disposti, em depoimento prestado na última quarta-feira, Boeno afirmou que não pôde devolver os R$ 3 mil porque o dinheiro já tinha dado entrada na contabilidade da matriz da Igreja em São Paulo e ele não teria como reavê-lo. Até as 20 horas de ontem, a Assessoria de Imprensa da Igreja não havia respondido às perguntas do Estado.