Parceria Brasil-China lança satélite nesta semana

João Carlos de Faria - O Estado de S.Paulo

CBERS-2B parte de base chinesa com três câmeras de monitoramento

São José dos Campos - O satélite CBERS-2B, construído pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) em parceria com a China, será lançado nesta semana, acoplado ao foguete chinês Longa Marcha 4B. A janela de lançamento (período em que o satélite pode ser lançado, segundo as condições) começa hoje às 23 horas (horário de Brasília) e segue até sexta-feira. A previsão é que ocorra amanhã. Todas as etapas serão informadas por teleconferência pelo diretor do Inpe, Gilberto Câmara, e pelo coordenador do programa, Ricardo Cartaxo, direto da base, na China. Cerca de 11 horas depois de lançado, o CBERS-2B faz sua primeira passagem sobre o País. O CBERS-2B, terceiro satélite desenvolvido em parceria com a China, tem vida útil projetada de dois anos, assim como o CBERS 1 e o 2. Os próximos dois da série, com lançamento previsto para 2009 e 2011, terão três anos de vida. A colocação em órbita do CBERS-2B garantirá a continuidade no fornecimento de imagens iniciado em 1999 com o CBERS-1. As imagens do CBERS-2 e do Landsat-5, americano, são o principal instrumento do programa de monitoramento remoto da Amazônia (Prodes), que calcula as taxas anuais de desmatamento. O CBERS-2 é também usado no programa de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), para fiscalização. Segundo o Inpe, desde que as imagens passaram a ser "baixadas" gratuitamente pela internet, em 2004, já foram liberadas 320 mil para 15 mil usuários ligados a instituições como o Incra e o Ibama, universidades, organizações não governamentais e empresas. O CBERS-2B tem três câmeras: CCD, WFI e HRC, usadas para atividades como planejamento urbano, que requer alta resolução, e aplicações que necessitam de dados freqüentes mas não tão detalhados, como agricultura.