Para não escorregar

- O Estado de S.Paulo

Lei da compensação: quem mostra a perna, evita o decote; quem aposta num decotão e braços de fora, esconde as pernas. Colocar tudo em evidência deixa o look vulgar. Uma minissaia, por exemplo, pede uma blusa mais soltinha, como uma bata. Um decote maior e uma blusinha justa vão bem com uma saia mais comportada, na altura do joelho, ou ainda uma pantalona. Um vestido curto fica bem se o modelo tiver mangas. Se for um tomara-que-caia, o ideal é que o comprimento do vestido seja maior. Barriga de fora: este item é polêmico, pois brasileira adora mostrar a barriguinha. Para as consultoras, nem mesmo quem tem o abdome sequinho e definido deveria deixá-lo à mostra na cidade. Mas na praia, no churrasco de fim de semana e no clube, tudo bem. O correto é que não apareça nenhum espacinho entre o cós da calça e o fim da blusa. Para comprar no tamanho correto, a dica é experimentar a peça e esticar os braços para cima. Se a blusinha não revelou nada da barriga, pode levar a roupa. Transparência: quem tem o braço gordinho, uma dica é usar blusas transparentes, que dão uma disfarçada, sem roubar o charme. Mas, atenção: nada de usar por baixo um sutiã rendado, achando que está abafando. É cafona e nada sexy. Este recurso só vale - e olha lá - para um look de balada, quando a sedução é o mote. Outra recomendação é vestir por baixo uma camisete, que cubra por inteiro a barriga. Cuidado também com saias e vestidos transparentes, mesmo aqueles tecidos que só revelam a silhueta na contraluz. Nestes casos, use por baixo um vestidinho, que serve como forro, feito de seda e da cor da pele. Não faça o forro com tecido sintético, porque esquenta e não vai refrescar nada. Bermuda: dúvida cruel é saber qual é a altura ideal. Para as consultoras, isso depende de vários fatores. Modelos, cuja altura fica na metade das coxas, criam a ilusão de que são mais grossas. Portanto, quem tem perna grossa e prefere disfarçar, esse não é o comprimento ideal. Mas quem se orgulha do volume delas, não há problema nenhum. Já as barras, que ficam abaixo do joelho, "encurtam" as pernas. O comprimento que Cristina e Fernanda consideram o curinga, por servir para todas, é aquele com barra logo acima do joelho. Decotes: os que mais valorizam o colo feminino são os modelos em V ou em U. Para não exagerar, o ideal é optar pelos decotes em V que fiquem na altura da axila - ou até se sentir confortável. Regra válida para o dia-a-dia. O que não impede de usar um modelo mais ousado em alguma ocasião especial. Nesse caso, lembre-se: um decotão pede comprimentos maiores nas saias, vestidos, bermudas, ou uma calça pantalona - não uma skinNY, colada ao corpo. Short e minissaia: mulheres acima dos 40 anos devem fugir dos curtos. A partir dessa idade, precisam evidenciar a elegância. O ideal é apostar nos modelos de bermuda e saia Midi (ou média), que fica um palmo acima do joelho - isso se as pernocas estiverem bem tratadas.