Países devem extrair CO2 emitido, diz cientista

EFE - O Estado de S.Paulo

O pesquisador americano Wallace S. Broecker, considerado o "pai" das mudanças climáticas, acredita que, para lutar contra esse fenômeno, além da necessidade de redução das emissões dos países desenvolvidos, eles deverão também extrair o dióxido de carbono (CO2) que já emitiram na atmosfera.Broecker, o primeiro cientista a alertar sobre o aquecimento global, nos anos 70, e ganhador da primeira edição do Prêmio Fronteiras do Conhecimento, da Fundação BBVA , na categoria de Mudanças Climáticas, afirmou que o que acontecerá dentro de 100 ou 200 anos será uma "surpresa".O cientista advertiu que as mudanças climáticas terão consequências "enormes" em todo o planeta, já que vão alterar a paisagem, as espécies vegetais migrarão para zonas mais frias ou se extinguirão e as regiões áridas ficarão ainda mais secas.No entanto, o que não deve mudar, segundo ele, é a dependência mundial por combustíveis fósseis, já que as energias renováveis não serão consagradas totalmente nos próximos 50 anos, o que significa que as emissões de CO2 continuarão aumentando.O cientista considerou que a maior parte dos críticos às teorias de mudanças climáticas "não é de pessoas de alto nível" e que os líderes políticos "não sabem nada de física". Sobre seu país, Broecker disse que houve "um bufão durante muitos anos no poder", em alusão ao ex-presidente George W. Bush. Atualmente, o cientista investiga as mudanças no padrão global de chuvas com o aumento da temperatura do planeta, especialmente nas zonas áridas.