País não pode abrir mão do petróleo, diz especialista

Herton Escobar - O Estado de S.Paulo

Especialistas em energia consultados pelo Estado foram unânimes em dizer que, apesar da preocupação climática, o País não pode abrir mão do petróleo do pré-sal."A demanda por petróleo é um problema global", diz Alexandre Szklo, da Coppe-UFRJ. A contramão do País, segundo ele, não está em investir no pré-sal, mas em continuar a investir em infraestrutura de transporte baseada em rodovias, em vez de ferrovias e hidrovias, que demandam menos petróleo.Também é preciso cuidado para que a ênfase no pré-sal não desvie atenções da necessidade de investir em fontes renováveis de energia. Uma opção, segundo ele, seria taxar o óleo do pré-sal e aplicar o recurso em energia renovável. "Podemos usar o pré-sal para que ele seja seu próprio coveiro."Cerca de 45% da matriz energética brasileira é baseada em fontes renováveis, principalmente hidrelétrica e biomassa, mas estudos mostram que há muito potencial desperdiçado nas áreas solar e eólica. "Estamos diante de uma equação complicada, que é aumentar a oferta de energia e emitir menos CO2", diz o consultor Adriano Pires, do Centro Brasileiro de Infraestrutura. Segundo ele, não há como abrir mão do petróleo porque a demanda continuará a crescer.