O último dia fashion

- O Estado de S.Paulo

No sétimo dia de SPFW, estilistas apresentam mix de cores e tecidos

A 23ª edição do São Paulo Fashion Week chegou ao fim abrindo espaço para os novos talentos da moda brasileira. Os estilistas Jefferson de Assis e a grife 2nd Floor, estreantes na passarela paulistana, destacaram-se com coleções inovadoras.Assis esbanjou conceito, brilho e estranheza. As primeiras modelos entraram estiradas sobre pianos, com trilha sonora de cabarés dos anos 40. O jeans chegou em recortes variados, com muitos apliques de zíperes, alças e silhueta justa no corpo. Depois vieram os looks de organza e seda. Os tecidos, em um belo amarelo ovo, deram forma a vestidinhos trapézio e esvoaçantes.A expectativa para a estréia do 2nd Floor era grande. A marca surge como um desdobramento de um projeto maior, o Ellus 2nd Floor que, desde 2002, dá visibilidade a novos estilistas, colocando à venda suas criações. As maçãs no cenário davam a pista da inspiração da grife, o Paraíso bíblico. Das tendências da estação, estavam lá os looks de cintura alta, os macaquinhos e macacões, as calças justas para homens, usadas com camisetas longas, e os paetês, que garantem a face luxo da proposta.Antes dos estreantes, Marcelo Quadros apostou nas deusas gregas do Olimpo. O estilista é conhecido pelas roupas de festa. Elas estavam todas lá, em tons pastel. O destaque foi a modelo Caroline Bittencourt, namorada do empresário Álvaro Garnero e lembrada pelo episódio em que foi expulsa da festa de casamento de Ronaldo e Daniela Cicarelli, em 2005. O tomara-que-caia foi a modelagem da vez.Abrindo o dia, Érika Ikezili misturou organza gel - tecido que parece meio plastificado -, tafetá cristal e tricoline stretch em vestidinhos, casacos e batas. Ela se inspirou nos quadros da pintora carioca Beatriz Milhares.Priscilla Darolt veio em seguida, com muitos vestidos curtinhos e modelagens tiradas do guarda-roupa masculino, mas transformadas em peças românticas.Pela manhã, a Raia de Goeye, grife de Paula Raia e Fernanda de Goeye, fez uma apresentação em um galpão na Vila Olímpia, fora do calendário oficial. Segundo a organização do SPFW, a saída da marca foi um pedido feito pelas estilistas. Na passarela, a apresentação foi aplaudida de pé, ao mostrar silhuetas fluidas dos longos vestidos em cores pastéis, como verde, lilás e amarelo.(Adriana del Ré e Flávia Guerra, do Estadão; Márcio Oyama, Maria Eugenia Tomazini e Deborah Bresser, do Jornal da Tarde)