Novo reitor da Unicamp quer ampliar currículo para torná-lo mais abrangente

Renata Cafardo - O Estado de S.Paulo

O novo reitor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Fernando Costa, quer tornar os cursos da instituição mais abrangentes, com o aumento de disciplinas de conhecimentos gerais e não ligados diretamente à carreira escolhida. Segundo ele, grupos de discussão sobre esse assunto serão uma de suas primeiras medidas após a posse, no dia 17. O objetivo é já mudar o currículo no ano que vem. "Um aluno que estuda Engenharia Mecânica, por exemplo, precisa ter aulas de artes, arquitetura, economia também", diz. O médico Fernando Costa ganhou a eleição na universidade e teve seu nome indicado no fim de semana pelo governador José Serra. Ele acredita que a Unicamp pode se inspirar em modelos de instituições do exterior para criar um programa mais abrangente. "Sei que é difícil, porque no Brasil temos a tradição de formação mais profissional", completa. Hoje, segundo ele, os estudantes têm a possibilidade apenas "em teoria" de cursar matérias de outras áreas. Mas as cargas horárias de disciplinas profissionais são tão altas que acabam inviabilizando o processo.A Unicamp, diferentemente das outras duas universidades estaduais, tem quase o mesmo número de alunos de graduação e pós (cerca de 20 mil em cada). O investimento em pós mostra a preocupação com produção científica e pesquisa, marca da Unicamp, mas Costa diz que um dos seus objetivos é fortalecer a graduação. "Queremos incentivar que os melhores professores deem aulas na graduação." Ele também quer aumentar o número de intercâmbios com instituições estrangeiras. Atualmente, cerca de 10% dos alunos da Unicamp fazem parte do curso em universidades de fora do País. A ideia é aumentar para 30%. O novo reitor comentou ainda a possibilidade de unificação da primeira fase dos vestibulares de Unicamp, USP e Unesp, proposta durante reunião no Conselho Estadual de Educação (CEE) na semana passada. "Os vestibulares têm características muito diferentes, mas estudar é sempre válido".