Nova 2ª fase da Fuvest gera críticas de educadores

BRUNA TIUSSU e ELIDA OLIVEIRA - O Estado de S.Paulo

A divulgação da lista de disciplinas da Fuvest para o terceiro dia de prova da 2ª fase, feita anteontem, trouxe surpresa para alunos e professores. Em alguns cursos, como Odontologia, há conteúdos distintos conforme a unidade para a qual o candidato concorre. Em Medicina, sai a prova específica de física e entra a de geografia. Já em Direito, entrará matemática. Para o coordenador do curso de Medicina da USP, Milton de Arruda Martins, a mudança sinaliza a busca por um candidato com formação plena. "É uma tentativa de abarcar todas as áreas de conhecimento, ao incluir uma disciplina de Exatas (química), de Humanas (geografia) e de Biológicas (biologia)", diz. Nem todos concordam. "É importante ter boa base das duas disciplinas. Acho até que poderiam incluir a geografia, mas não tirar a de física", diz o infectologista André Lomar, do Hospital Albert Einstein. O coordenador-geral de vestibular do Colégio Bandeirantes, Osmar Antônio Ferraz, vê outros problemas. "Num mesmo curso, temos critérios diferentes. Na Odontologia de Ribeirão Preto cobra-se química, física e biologia, enquanto em São Paulo, química, física e geografia", compara. "Isso mostra que a USP não tem uma política definida sobre qual candidato ela quer selecionar", diz Mauro Aguiar, diretor-geral do Colégio Bandeirantes. Em Direito, a inclusão de matemática também trouxe questionamentos. "O problema não é a disciplina em si, mas se serão feitas provas diferentes para cada curso, já que a matemática que interessa ao Direito é diferente da que interessa às Engenharias", diz Nicolau Marmo, coordenador-geral do Anglo Vestibulares. Para Marco Limas Gubitoso, membro do Conselho de Graduação da USP, as alterações na Fuvest foram precipitadas. "Não houve tempo de estudarmos as consequências", afirma. A assessoria da pró-reitoria de Graduação da USP informou que as unidades puderam escolher como compor a prova específica do terceiro dia da 2ª fase. Disse ainda que as mudanças foram aprovadas por unanimidade no Conselho de Graduação.