Nos EUA, escola pagará salário anual de R$ 243 mil

The New York Times, NOVA YORK - O Estado de S.Paulo

Experiência quer saber como professor de alto nível influencia a aprendizagem de estudante de baixa renda

Que professores uma escola contrataria se pagasse um salário de US$ 125 mil (ou cerca de R$ 243 mil) por ano? Resposta: uma renomada violista, que transmite em suas aulas de música a neurociência da necessidade de praticar e também instruções criativas como "Passe a melodia para o ouvinte de maneira suave, como se fosse uma taça de gelatina". Além dela, Joe Carbone, professor de educação física, com um currículo inusitado. Foi personal trainer de Kobe Bryant, um dos jogadores de basquete mais caros da liga norte-americana. "Transformei Kobe, de 82 quilos, em um atleta de 112 quilos de puro músculo em oito anos", disse Carbone. Os dois integram um time dos sonhos de oito professores de uma escola que será inaugurada em setembro em Manhattan, com salários que fariam a maioria dos professores deixar o giz cair: US$ 125 mil (ou US$ 10,4 mil por mês). É quase o dobro do salário médio de um professor da rede pública de Nova York e duas vezes e meia a média nos Estados Unidos. Eles também terão direito a bonificações, baseadas no desempenho, de até US$ 25 mil no segundo ano. A escola Equity Project tem a teoria de que professores excelentes - e não tecnologias revolucionárias ou classes pequenas - são o elemento crucial. Eles esperam oferecer uma visão para questões de difícil apreensão da educação, como se ter professores de alto nível será suficiente para uma escola ser realmente grande. Outras questões são: se salários de seis dígitos serão o melhor para atraí-los ou o que faz de um professor um grande educador. EM BUSCA DE TALENTOS O fundador da instituição, Zeke M. Vanderhoek, diplomado em Yale, criou uma empresa para testar esses educadores e está às voltas com tais problemas. Em 15 meses, percorreu todo o país para observar os 35 candidatos mais dotados e os seus fãs mais ardorosos - como o diretor recomendado de maneira tão emocionada por uma professora, lembra Vanderhoek, que ela, "estava praticamente chorando, dizendo que ele era um verdadeiro tesouro". O Equity Project abrirá com 120 alunos do 5º ano, escolhidos por uma loteria que deu preferência a crianças que moravam na localidade e estudantes fracos: a maioria de famílias hispânicas, de baixa renda. No futuro serão 480 alunos de 5ª a 8ª séries, com 28 professores no total. A escola recebeu 600 pedidos de matrícula. Vanderhoek entrevistou pessoalmente cem deles. Segundo ele, um currículo brilhante e uma classe que responde bem ao professor são duas coisas diferentes. "Alguns professores parecem ótimos, mas as crianças não têm o menor respeito por eles", comenta. O PERFIL 600 pedidos de matrícula foram recebidos pela direção do Equity Project 120 alunos do 5.º ano foram aceitos para o início do projeto 8 professores serão contratados a partir de setembro para dar aula na escola; previsão é chegar a 28