Nobel de Medicina deixa laboratório

AFP - O Estado de S.Paulo

O Prêmio Nobel de Medicina de 1962, o americano James Watson, suspenso da direção de um laboratório após defender a diferença entre as raças, anunciou ontem sua saída definitiva do cargo. "Comuniquei ao Laboratório Cold Spring Harbor meu desejo de retirar-me da direção que exerci por 43 anos", afirmou.Watson, de 79 anos, justificou sua saída como uma questão de idade, mas disse "que as circunstâncias são diferentes das desejadas". Considerado um dos pais da genética moderna, o biólogo recebeu o Nobel junto com Francis Crick e Maurice Wilkins pela descoberta da estrutura do DNA.Na semana passada, afirmou que era "pessimista em relação à África porque todas as nossas políticas sociais estão baseadas no fato de que a inteligência dos negros é a mesma que a nossa, quando todas as evidências indicam o contrário".