No País, mais de 10 milhões tiveram DST

BRASÍLIA - O Estado de S.Paulo

Estudo mostra que médicos não aconselham testes

Pesquisa encomendada pelo Programa Nacional de DST-Aids mostra que 10,3 milhões de brasileiros já tiveram sintomas de doenças sexualmente transmissíveis e que os primeiros problemas começam cedo. Segundo o trabalho, 8,9% dos homens entre 15 e 24 anos disseram ter apresentado sintomas. "É um dado que preocupa, sobretudo diante da constatação de que DSTs aumentam em até 18 vezes o risco de infecção pelo HIV", disse a coordenadora do programa, Mariangela Simão. O estudo também mostra que o brasileiro resiste em procurar médico nessas situações - e quando o faz, é mal orientado. Um em cada quatro homens, ao ter os sintomas, procurou o balconista da farmácia em vez de um médico. Do grupo que procurou os médicos, só 30,2% foi orientado a fazer teste de HIV. A situação foi pior no aconselhamento sobre sífilis: só 24,3% dos infectados foram aconselhados a fazer o exame. "É preciso que os médicos estejam mais atentos", completou Mariangela. Entre as mulheres, a situação é melhor. Das que tiveram sintomas, 11,4% não procuraram tratamento. Entre as que procuraram, a maioria (74,7%) buscou o médico. Mas as orientações recebidas também deixaram a desejar: apenas 30,7% foram aconselhadas a fazer o teste de HIV e 22,5%, o de sífilis. O correto seria o profissional, além de indicar tratamento, orientar o paciente a usar preservativo, a comunicar seu parceiro e a fazer testes de HIV e de sífilis. A pesquisa revelou que, em nenhum desses itens, em ambos os sexos, o aconselhamento foi feito a um número maior do que 75%. O porcentual maior detectado foi sobre a comunicação de parceiros: 70,.5% das mulheres foram aconselhadas a fazê-lo. "São números que precisam mudar", disse a coordenadora.Para Mariangela, os dados indicam que boa parte da população não reconhece o risco ou não sabe identificar no corpo os sinais de DST - entre eles, corrimento, ardor ao urinar, verrugas, feridas. Feito com 8 mil pessoas entre 15 e 64 anos, o estudo mostra que o maior porcentual de infecções relatadas ocorreu na Região Norte, onde 24,6% dos homens relataram sintomas da doença. O menor porcentual foi na região Centro-Oeste, onde 12,9% dos homens disseram apresentar pelo menos um sintoma de DST.