Nasa lança sondas para preparar volta à Lua

Carlos Orsi, estadao.com.br - O Estado de S.Paulo

Plano prevê retorno do homem ao satélite em 2019

A Nasa, a agência espacial dos Estados Unidos, lançou ontem as sondas LRO e Lcross a bordo de um único foguete Atlas 5. Elas vão analisar a Lua em busca de sinais de gelo e de locais para um futuro desembarque de astronautas. Veja mais informações sobre a Lua e a exploração espacialAtualmente, o plano de exploração espacial da Nasa, que se encontra em revisão, prevê o retorno de seres humanos à Lua em 2019, a bordo de uma nova geração de naves que começou a ser desenvolvida após o desastre do ônibus espacial Columbia, em 2003.A busca por gelo é parte da prospecção de terreno para uma futura base lunar. Ele seria recurso precioso, fornecendo não só água, mas também combustível e oxigênio. Isso reduziria o volume de insumos que precisaria ser lançado da Terra para sustentar os habitantes de um posto lunar.A LRO (Lunar Reconnaissance Orbiter, ou Orbitador de Reconhecimento Lunar) deverá ficar em órbita do satélite durante pelo menos um ano, a cerca de 50 km da superfície, fazendo leituras com uma série de instrumentos. Entre eles, há um detector de nêutrons, para mapear a distribuição de hidrogênio na Lua e avaliar o risco da radiação ambiente para os futuros astronautas, e um altímetro laser, para mapear detalhadamente a topografia.Já a sonda Lcross vai se dividir em duas seções, que colidirão, a uma velocidade de mais de 7 mil km/h, com o fundo de uma cratera localizada perto do polo sul da Lua. O objetivo é produzir uma massa de dejetos que possa ser analisada por cientistas, a fim de determinar se há gelo no local do impacto. O alvo escolhido fica permanentemente à sombra, sem jamais receber luz direta do Sol. Alguns cientistas acreditam que locais assim podem acumular e preservar água congelada, transferida para a superfície lunar pelo impacto de cometas.Ambas as sondas devem chegar à Lua quatro dias após o lançamento. Uma vez na vizinhança lunar, a LRO levará cerca de uma semana para entrar na órbita adequada e iniciar suas atividades. Já a Lcross dará uma série de voltas ao redor da Lua para posicionar-se o melhor possível para o impacto.