Nº de registros da doença dobra no mundo nos últimos dois dias

Jamil Chade, GENEBRA - O Estado de S.Paulo

Casos chegam a 4,3 mil em 29 países; Estados Unidos têm a maior quantidade de doentes

O número de casos de gripe suína quase dobrou no mundo apenas neste final de semana. Ontem, dados oficiais da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontavam para 4.379 registros, dos quais 2,2 mil nos Estados Unidos. O México, considerado até então o epicentro do surto, tem 1,6 mil casos. Veja o mapa da gripe pelo mundo Acompanhe as notícias e os números da epidemia Entenda a doença e o vírus A(H1N1) Veja as orientações do Ministério da SaúdeAs mortes chegavam pelo boletim a 49, sendo que a Costa Rica foi a primeira a registrar óbito fora da América do Norte. Fontes da cúpula da OMS confirmaram ao Estado que a semana será "intensa" para a entidade, já que ela terá de se confrontar com a possibilidade de declarar uma pandemia se o ritmo de casos continuar como no fim de semana. No total, 29 países foram afetados.Parte do aumento dos números é reflexo do fato de que laboratórios começam a acelerar testes que estavam acumulando. Mas a OMS admite que parte do crescimento foi gerado pela proliferação de pessoas contaminadas. Os dados dos governos são ainda maiores. Nos Estados Unidos, o governo soma 2.532 casos, com 3 mortes. No México, os dados do governo indicam 48 mortos. A OMS apenas contabiliza dados confirmados por laboratórios e que tenham sido comunicados pelas autoridades, o que pode levar alguns dias para ocorrer.Na América do Norte, o Canadá ainda conta com 280 casos e uma morte, contra 8 casos na Costa Rica e 1 morte.A OMS continua a manter o nível 5 de alerta pandêmico, em uma escala de 1 a 6. Para que a pandemia seja declarada, os técnicos precisam confirmar a existência de uma transmissão sustentável em mais de uma região do mundo. A atenção da OMS, portanto, continua concentrada no continente europeu. No total, são 184 casos na Europa, a maioria "importados" dos locais com surto da gripe suína.Mas, no fim de semana, os números voltaram a subir, principalmente no Reino Unido e na Espanha. A OMS aponta como 39 os casos oficiais entre os britânicos. Mas o próprio governo estima que sejam 55.Transmissões do vírus em escolas preocupam. Na Espanha, são 93 casos oficialmente registrados pela OMS, contra 95 anunciados pelo governo. Nesta semana, a OMS realiza duas reuniões importantes. A primeira ocorre quarta, quando governos, entre eles o Brasil, encontram-se para tentar fechar um acordo de compartilhamento de amostras do vírus. Na quinta, empresas farmacêuticas de todo o mundo se encontram com a OMS para tentar estabelecer uma estratégia para a produção de vacinas e definir se de fato está na hora de começar a fabricação.