Mudas vão substituir multa

João Domingos, TAILÂNDIA (PA) - O Estado de S.Paulo

Em vez de pagar R$ 475 mil, dono de serraria propõe cultivar árvores

Hélder Antonio Garcia, o Dedé, teve um azar terrível. Por três anos, juntou dinheiro para comprar uma serraria em Tailândia. Um ano depois de conseguir o grande negócio de sua vida e começar a serrar madeira, caiu nas malhas da fiscalização do Ibama durante a Operação Arco de Fogo. Não tinha documentos da madeira. Apreenderam no pátio de sua serraria 1.187 metros cúbicos, quantidade suficiente para encher 40 caminhões.Tudo foi lacrado pelos fiscais do Ibama: serras, motores, geradores. O lacre está lá. Violá-lo é crime. Processado, Dedé fez um acordo com o Ministério Público. Vai doar cestas básicas. Com relação à multa aplicada pelo Ibama, de R$ 475 mil, tenta transformá-la na produção de mudas. Pela proposta apresentada ao organismo do governo federal, propõe-se a plantar 38 mil mudas de árvores nativas em uma área de cerca de 15 hectares que ainda terá de adquirir. "Essa é a minha esperança. Não tenho condição de pagar a multa", disse ele, que mora ao lado da serraria fechada.Além de plantar as quase 40 mil mudas de árvores, Dedé terá de assinar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), comprometendo-se a não mais serrar madeira ilegal. Sem dinheiro para dar continuidade ao pagamento das prestações da serraria, conseguiu uma moratória. "O antigo proprietário sabe que eu não tenho condições de pagar nada no momento."Quando sua serraria foi fechada, ele teve de demitir 32 operários. Os advogados que o defendem estão sendo pagos pela prefeitura de Tailândia.Dedé tem 49 anos, dois filhos em idade escolar. Saiu de Barbacena (MG) em 1990. Foi para Tailândia comprar carvão para as siderúrgicas de ferro-gusa que atuam na área de Marabá. Um dia resolveu ter o próprio negócio. Quando terminasse de pagar as prestações da serraria, passaria a ter lucro líquido de cerca de R$ 15 mil a R$ 20 mil por mês, suficiente para juntar uma parte mês a mês e aumentar o negócio. Hoje, a multa que lhe aplicaram - se não conseguir revertê-la em mudas - é maior do que o valor da serraria.