Móveis à prova do tempo

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Joana Mouta, diretora de marketing da fabricante de móveis filandesa Artek comenta o objetivo permanente da empresa de criar peças capazes de atravessar gerações

A diretora de marketing da Artek, Joana Mouta

A diretora de marketing da Artek, Joana Mouta Foto: divulgação

Detentora de um portfólio de respeito, que inclui criações de mestres como Alvar Aalto, a finlandesa Artek enfrenta o desafio comum a todas as marcas que carregam uma forte herança histórica: se reinventar sem perder a identidade. “Trata-se de um esforço permanente para uma pequena empresa, ainda que pertençamos a um grupo de forte atuação internacional como a Vitra”, declara a portuguesa Joana Mouta, diretora de marketing da marca, que visitou São Paulo na semana passada e falou ao Casa.

A tradição escandinava está bem presente nas novas criações Artek. Como lidar com a questão do passado na hora de criar o hoje?

A Artek é um projeto que nasceu há 80 anos, acompanhando a história de uma jovem nação, a Finlândia. Nasceu como um veículo de novas ideias e creio que essa condição ficou para sempre impressa no DNA da empresa. De maneira natural, os designers que se aproximam de nós partilham um mesmo ideal: criar, com materiais naturais, objetos capazes de resistir ao tempo, de transcender a história. Trabalhamos não tendo em vista moda ou tendências, mas sim um ideal de permanência. A nós interessa criar os futuros clássicos e, nesse sentido, acreditamos que nossos móveis não poderiam ser mais atuais.

Dos franceses Ronan e Erwan Bouroullec, a coleção Kaari, que tem como elemento comum um componente de aço dobrado na base dos móveis

Dos franceses Ronan e Erwan Bouroullec, a coleção Kaari, que tem como elemento comum um componente de aço dobrado na base dos móveis Foto: divulgação

Como as condições locais influenciam o design nos países escandinavos? 

O design nórdico tem características muito específicas. As peças têm dimensões modestas porque os espaços no norte da Europa são muito pequenos. A utilização de materiais naturais, como a madeira bétula do Báltico é outra particularidade, que garante uma estética muito nórdica a nossos móveis. Além disso, como durante o inverno dispomos de poucas horas de sol, os interiores das casas são sempre claros, apenas pontuado de cores. A questão da luz é tão fundamental que até mesmo as luminárias tendem a enfatizar a luz indireta, aproximando-se, o máximo possível, da natural.

Quais questões interessam à marca hoje? 

Fundamentalmente, conteúdo, identidade e sustentabilidade. Como expliquei, nosso interesse nunca foi apenas ser uma marca de mobiliário. Mas um projeto ideológico e cultural. A vocação internacional da marca, por sua vez, impõe uma questão de idêntica importância: levar a Finlândia para o mundo, mas sempre preservando nossos valores. Por fim, a sustentabilidade é para nós um dado sempre presente. Pretendemos continuar a criar peças capazes de durar uma vida, atravessar gerações e envelhecer graciosamente, ganhando, tal qual as pessoas, uma bonita pátina do tempo.

Os clássicos bancos encaixáveis de Alvar Aalto

Os clássicos bancos encaixáveis de Alvar Aalto Foto: divulgação