Morre o ''pai da revolução verde''

AFP, WASHINGTON - O Estado de S.Paulo

Norman Borlaug foi Nobel da Paz

O agrônomo americano Norman Borlaug, vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 1970, morreu de câncer anteontem, aos 95 anos, em Dallas. Borlaug criou na década de 60 novas técnicas agrícolas que ajudaram no combate à fome no mundo. A técnica lhe rendeu o apelido de "pai da revolução verde".

"Norman Borlaug foi o homem que mais salvou vidas na história da humanidade", disse Josette Sheeran, diretora do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas. O agrônomo desenvolveu variedades de trigo com maior rendimento e mais resistentes a doenças, que permitiram aumentar a produção agrícola na América Latina e Ásia.

Borlaug nasceu em 1914 em Iowa, nos Estados Unidos. Estudou na Universidade de Minnesota e trabalhou no Serviço Florestal dos EUA.

COMBATE À FOME

Foi em 1944, com a ajuda de pesquisadores mexicanos, que o agrônomo começou a desenvolver uma nova variedade de trigo com rendimento até três vezes superior ao que existia à época. O alimento foi utilizado na Índia e no Paquistão - naqueles países, segundo Borlaug, a produção de trigo duplicou entre os anos de 1965 e 1970. Com o êxito, o trigo foi levado a América Latina, África e Oriente Médio. "Sua dedicação total à erradicação da fome revolucionou a segurança alimentar de milhões de pessoas em muitos países", lembra Josette Sheeran.

Ao ganhar o Prêmio Nobel da Paz, ele prometeu trabalhar no combate à fome por toda sua vida. "A civilização como a conhecemos não poderia se desenvolver ou sobreviver sem comida suficiente", declarou ele, à época, no discurso de aceitação do Nobel.

O pesquisador também recebeu duas das maiores distinções dos EUA - a Medalha da Liberdade, outorgada pelo presidente, e a Medalha de Ouro do Congresso -, além de outras condecorações em vários países. Borlaug era defensor da manipulação genética e da biotecnologia. "O público deve ser mais bem informado sobre a importância da biotecnologia na produção alimentar", disse o pesquisador, em uma entrevista em 2002.

Borlaug também era professor emérito da Universidade Texas A&M, especializada em agronomia.