Morre, aos 83 anos, o ator Paul Newman

Luiz Zanin Oricchio - O Estado de S.Paulo

Vencedor de três Oscars, filantropo e até piloto de corridas, ele perdeu uma longa luta contra o câncer

O ator Paul Newman, um dos mais respeitados de Hollywood, morreu na noite de sexta-feira, aos 83 anos, após travar uma longa batalha contra o câncer. Ele estava em casa, acompanhado de familiares e amigos, na sua fazenda de Westport, no Estado americano de Connecticut. Não foram divulgados detalhes da doença.Famoso tanto pelo talento quanto pelo charme, que tinha os olhos azuis como marca registrada, Newman teve o que se poderia chamar de carreira densa e extensa. Trabalhou em mais de 60 filmes e foi dez vezes indicado ao Oscar. Recebeu a estatueta por A Cor do Dinheiro, de 1986, em que atuou ao lado de um jovem Tom Cruise. Curiosamente, um ano antes, já havia ganhado um Oscar pelo conjunto da obra.Recebeu também um Oscar honorário em 1994 por seu trabalho de filantropia. Em 1982, ele fundou a empresa de alimentos orgânicos Newman?s Own, cujos lucros são doados para causas sociais. A marca se tornou um sucesso e, nos últimos 25 anos, arrecadou e doou US$ 250 milhões. Vinte anos atrás também fundou a rede de acampamentos de verão Hole in the Wall, voltado para crianças que sofrem de doenças graves.No cinema, Newman podia ser o xodó do público feminino, mas o fato é que ia muito além do rosto bonito e dos olhos claros - que, curiosamente, eram daltônicos, o que o impediu de ser piloto da Marinha na Segunda Guerra Mundial. Era um ator de boa formação, tendo estudado em Yale e depois freqüentado o famoso curso do Actor''s Studio de Nova York.Cultura costuma vir acompanhada de espírito crítico. Tanto assim que se conta que sua primeira atuação do cinema - em O Cálice Sagrado, de 1954 - o desagradou tanto que pensou em abandonar a carreira. Para a sorte de todos, não o fez e o trabalho seguinte, em Marcado pela Sarjeta, no qual interpreta o boxeador Rocky Graziano, foi considerada brilhante e sua verdadeira estréia na tela grande. Começava então uma série de atuações memoráveis em filmes como Gata em Teto de Zinco Quente e Mercador de Almas, ambos de 1958. Por seu papel neste último, ele recebeu a estatueta de melhor ator no Festival de Cinema de Cannes. Mas talvez seus dois trabalhos mais famosos sejam como o pistoleiro de Butch Cassidy e Sundance Kid e o piloto de 500 Milhas, ambos de 1969. Não são exatamente "filmes de arte", aqueles que consagram um ator perante a crítica e tornam seus personagens modelos de aprofundamento na alma humana. Mas o fato é que Newman vivia o bandoleiro Butch Cassidy e o piloto Frank Capua com tamanha intensidade e charme que transformou a ambos em tipos inesquecíveis do cinema.Tanto que ele se tornou piloto profissional na vida real, competindo em várias corridas nas décadas de 70 e 80 - quando se dizia "entediado" com Hollywood. Depois fundou a equipe Newman/Haas/Lanigan Racing, que compete na Fórmula Indy americana.Newman era casado desde 1958 com a atriz Joanne Woodward, também vencedora do Oscar. Perguntado uma vez sobre o segredo de seu relacionamento, o galã disse: "Se tenho steak em casa, por que sairia atrás de um hambúrguer?"