Missa por d. Aloísio reúne mil fiéis

Elder Ogliari, PORTO ALEGRE - O Estado de S.Paulo

D. Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo, foi designado pelo papa para celebrar a cerimônia no RS

O corpo do cardeal d. Aloísio Lorscheider, arcebispo emérito de Aparecida morto no domingo, aos 83 anos, deixou a Catedral Metropolitana de Porto Alegre sob aplausos de cerca de mil pessoas, no início da noite de ontem, após missa de exéquias (honras fúnebres). A cerimônia foi oficiada a partir das 18 horas pelo cardeal d. Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo, designado para isso pelo papa Bento XVI.O caixão foi carregado por um grupo de bispos até o carro funerário, que transportou o corpo do religioso para a localidade de Daltro Filho, em Imigrante, a 130 quilômetros de Porto Alegre. O sepultamento será hoje às 17 horas.À saída da celebração, o senador Tasso Jereissati (PSDB) disse que d. Aloísio mudou o Ceará nos anos em que foi arcebispo de Fortaleza, de 1973 a 1995. "Aquela história de Estado dos coronéis, povo manipulado e voto de curral acabou-se com d. Aloísio", afirmou. "Quem fez toda a organização social através das Comunidades Eclesiais de Base e deu consciência à população mais marginalizada foi ele", prosseguiu. "Foi o homem mais ilustre e mais importante que vi no Ceará durante minha vida.""Agradecemos a Deus por ter dado à Igreja essa figura extraordinária de mansidão, serenidade e equilíbrio, e que também sabia transmitir muita firmeza e energia para repreender, questionar e interpelar, como profeta, quando isso era necessário", declarou d. Geraldo Lyrio Rocha, presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), também estava presente e se manifestou sobre o legado de d. Aloísio. Segundo ele, o cardeal foi um "gigante" na defesa da democracia e dos direitos humanos e trabalhou para manter a Igreja próxima do povo. "Uma vez reconquistada a democracia no Brasil, (d. Aloísio) manteve-se discreto e humilde, como era de seu feitio."D. Lorenzo Baldisseri, núncio apostólico no Brasil, destacou "seu desapego total aos bens materiais" e as ações corajosas em defesa dos mais necessitados.BEM-AVENTURANÇASDe manhã, cerca de 400 pessoas já haviam participado da primeira homenagem do dia ao cardeal, uma missa da família franciscana. Na celebração, o bispo de Uruguaiana, d. Aloísio Dilli, citou as bem-aventuranças do Sermão da Montanha para lembrar que d. Aloísio se enquadrava em todas elas, por ser humilde, simples, pobre e misericordioso e se dedicar à defesa dos injustiçados e à promoção da paz, submetendo-se às perseguições por causa de seu testemunho evangélico.