Ministério confirma 36º caso de gripe suína no País

Felipe Branco Cruz, JORNAL DA TARDE - O Estado de S.Paulo

Registros cresceram 80% em uma semana, mas não há surto no Brasil

O Ministério da Saúde confirmou ontem mais um caso de influenza A(H1N1), a chamada gripe suína, elevando para 36 o número de registros no Brasil. Desde a última segunda-feira, o total de casos subiu 80% no País - eram 20 registros -, mas a pasta destaca que não há surto ou epidemia. Os pacientes brasileiros contraíram a doença de pessoas que vieram de países com alta circulação do vírus. Todos, até agora, tiveram sintomas considerados suaves.O novo caso é de uma pessoa do Rio de Janeiro que apresentou os sintomas após retornar de uma viagem ao Canadá, um dos países mais afetados pela doença, considerado área de transmissão sustentável do vírus, assim como Estados Unidos e México.Também o Estado de Vitória, na Austrália, ingressou no mapa de áreas com transmissão sustentável. No Chile, foi registrada ontem a segunda morte no país e da América Latina.O nome da vítima não foi divulgado, mas trata-se de um homem de 56 anos, morador da província de Osorno, na região central.A confirmação foi do Ministério da Saúde do Chile. A pasta informou ainda que o homem sofria de problemas respiratórios. O Chile já tem confirmado 890 casos da doença. MONITORAMENTOSegundo o Ministério da Saúde, o paciente do Rio foi tratado, passa bem e está em isolamento familiar. As pessoas que tiveram contato com ele estão sendo monitoradas.O número de casos suspeitos no Brasil também aumentou de 35 para 45. As amostras das secreções desses pacientes já foram encaminhadas para análises laboratoriais. São Paulo é o Estado com maior número de contaminados no País - com 15 pacientes. Em seguida vêm o Rio, com 9 registros; Santa Catarina, com 5; Mato Grosso, 2; Tocantins, 3; Minas Gerais, 1 e Rio Grande do Sul, 1. Do total, nove foram em decorrência de transmissão autóctone (registrada dentro do País). PREVENÇÃO Etiqueta da tosse: Ao tossir ou espirrar, cubra a boca e o nariz com um lenço descartável. Lave as mãos com frequência Casos suspeitos: O critério é ter viajado nos últimos dez dias para países afetados, ter febre acima de 37,5°C, tosse ou dor de garganta, acompanhadas ou não de dores e dificuldades respiratórias Ajuda: Os hospitais de referência estão no www.saude.gov.br