Metade dos professores que zeraram vão dar aulas

Fábio Mazzitelli - O Estado de S.Paulo

Dos cerca de 3 mil professores temporários que zeraram na "provinha" realizada pela rede estadual de ensino de São Paulo, conforme antecipou o Estado na edição de sábado, quase 1,5 mil estão com aulas garantidas em 2009. A informação foi divulgada ontem pela secretária estadual da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, em resposta à exclusão da prova de seleção dos temporários do processo de atribuição de aulas que ocorre hoje em todo o Estado."Entre 3 mil e 3,5 mil zeraram. Desses, quase 2 mil eram professores novos e quase 1,5 mil temporários antigos. Esses estão aqui há 30, 20 anos, participam de concurso público e não passam. Tiraram zero, vão estar na frente na atribuição e vão pegar aula", disse a secretária, que cogita elaborar um programa de capacitação especial para quem teve baixo desempenho na provinha.Em decisão liminar que deu ganho à Apeoesp, sindicato dos professores da rede, os resultados do exame não serão computados na distribuição das aulas, que deve obedecer à classificação por tempo de serviço e titulação. A briga judicial entre governo e Apeoesp atrasou o início das aulas para 5 milhões de alunos.