Menino fica 5 dias com projétil na cabeça

- O Estado de S.Paulo

A Secretaria da Saúde de Foz do Iguaçu (PR) criou comissão para avaliar o caso de Samuel da Silva Júnior, de 3 anos, que ficou por cinco dias com um projétil alojado na cabeça, mesmo após ser examinado por dois médicos. O grupo tem até 20 de fevereiro para decidir se abre sindicância ou não. A polícia investiga a origem do tiro. O menino passou por cirurgia e, segundo o hospital, se recupera bem. Samuel brincava em frente de casa quando percebeu que a cabeça sangrava. Como havia crianças com estilingue, os pais pensaram que fosse pedrada. Ele foi levado ao pronto-atendimento por duas vezes, onde recebeu analgésico. Só após a família pagar um raio X, o projétil foi localizado - havia entrado pelo lado direito e se alojado na outra extremidade.