Menino de 12 anos pode ser 50ª morte por dengue

Fabiana Cimieri, RIO - O Estado de S.Paulo

Moradores fazem protesto no Rio por providências contra epidemia

O estudante Vinícius Ramos Siqueira da Silva, de 12 anos, é possivelmente a 26ª criança morta por ter contraído dengue no Estado do Rio. Ele morreu no Hospital Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, na quinta-feira. Segundo seu pai, Jerônimo Gomes da Silva, o menino morava com a mãe na Favela Santa Lúcia. "Ela é enfermeira, sabe muito bem como tratar a dengue. Mas o local é abandonado, moram ao lado de um ?valão?", afirmou Silva. Ele disse que a doença do filho foi confirmada no dia de sua morte. O caso de Vinícius ainda não entrou nas estatísticas oficiais da Secretaria Estadual de Saúde porque faltam ser concluídos os exames para confirmar a infecção. Em caso positivo, Vinícius será a 50º morte provocada pela epidemia.Até a quarta-feira, a Secretaria Estadual de Saúde havia registrado 47 mortes só em 2008. Na quinta, foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde a morte de uma menina de 14 anos, moradora da Praça Seca, na zona oeste, em um hospital de Jacarepaguá, também na zona oeste do Rio. Na noite de quinta, um bebê de apenas sete meses, que seria a 49ª vítima da doença, morreu com suspeita de dengue no Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, na zona oeste. O boletim médico indica que a causa da morte de Ana Clara Gonçalves foi dengue, de acordo com a direção do hospital. A Secretaria Estadual de Saúde irá abrir uma sindicância para saber por que não havia pediatras no local no dia em que o bebê morreu. A médica que deveria estar de plantão pertence a uma cooperativa e faltou sem avisar. Se ela não apresentar justificativa, poderá ser demitida.O apresentador Luciano Huck é mais uma vítima da dengue. Segundo sua empresária, Renata Colaferri, ele confirmou no sábado que está infectado. O apresentador passou o fim de semana em Angra dos Reis, de repouso na cama, com a mulher, a também apresentadora Angélica, e os filhos, Joaquim e Benício. PASSEATA Moradores do Rio fizeram ontem de manhã uma manifestação contra a dengue na orla da cidade. Alguns dos participantes chegaram a se fantasiar de mosquito. O protesto foi organizado pelos sócios de uma casa lotérica do centro, que criaram uma forma inusitada de combater o Aedes aegypti.O empresário Cleilton Menezes Júnior, um dos proprietários da casa de jogos, disse que as primeiras pessoas que levarem à lotérica um mosquito transmissor da dengue morto receberão um jogo da Mega Sena. "Cada um tem que ajudar como pode. É o terceiro ano em que fazemos essa campanha e, em uma semana, arrecadamos mais de 70 mosquitos", disse. Entre os participantes da passeata, a maioria já foi vítima da doença ou teve parentes infectados. É o caso da dona de casa Lucia Loureiro, de 60 anos, que ficou sabendo da manifestação pela imprensa e decidiu participar. "Moro na Taquara (zona oeste), um dos bairros mais infectados. Já peguei a doença três vezes e, mesmo assim, vemos que tem vizinhos que cultivam focos e a prefeitura não faz nada para impedir." Hoje à tarde haverá uma reunião com representantes das secretarias municipal, estadual e do Ministério da Saúde. Um gabinete de gestão de crise foi criado e deverá divulgar amanhã as primeiras medidas para combater a epidemia. NÚMEROS48 mortescausadas pela epidemia de dengue no Estado do Rio de Janeiro desde o começo do ano foram confirmadas até agora24 mortes infantisforam confirmadas no Estado até agora somente em 200835.901 casosda doença haviam sido confirmados no Estado desde o início do ano até quinta-feira23.550 casosde dengue foram registrados apenas na capital de janeiro até quinta-feira