MEC promete ajudar alunos de cursos ruins

Lisandra Paraguassu, BRASÍLIA e Pedro Dantas, RIO - O Estado de S.Paulo

Alunos dos 89 cursos de Direito que serão supervisionados pelo Ministério da Educação poderão ser ajudados pelo governo a encontrar novas vagas, caso o processo leve, no final, ao fechamento de alguma faculdade. Ao anunciar as medidas, o ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou que a intenção não é fechar cursos, mas melhorar a qualidade. Mas, caso chegue a isso, o MEC poderá ajudar os estudantes.   Lista das 89 faculdades Até hoje, no entanto, nenhum curso de graduação foi fechado. Juridicamente, o ministério não tem a obrigação legal de encontrar vagas para estudantes e nem pode obrigar outras instituições a recebê-los sem passar, por exemplo, por um vestibular. O MEC começou ontem a notificar os 89 cursos que tiveram resultados ruins no Exame Nacional de Desempenho do Estudante (Enade). Na carta, o ministério pede que as instituições façam um diagnóstico de seus problemas e ofereçam soluções, advertindo que, se não aceitarem que têm problemas ou não oferecerem soluções, o MEC vai enviar uma comissão para visita in loco. O ministro levantou ontem a possibilidade de suspensão dos vestibulares nas escolas em pior situação. "Os cursos reprovados vão passar por uma supervisão com provável redução das vagas de ingresso", afirmou. "Nos casos mais dramáticos, o processo seletivo para ingresso na instituição será suspenso." O levantamento, divulgado anteontem, mostrou que existem 37 faculdades de Direito muito ruins no País.