Maço de cigarro deverá ter imagens

Talita Figueiredo - O Estado de S.Paulo

As empresas tabagistas voltam a ter de publicar, nos maços de cigarro e a partir de maio, imagens mais fortes do que as que estampam desde 2003, além de advertências com mais destaque. Ontem, o desembargador federal Guilherme Calmon, da 6ª Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (RJ e ES), cassou liminar que suspendia o prazo para a Souza Cruz. Em agosto passado, a Anvisa deu prazo de nove meses para que as empresas fizessem a alteração. Há duas semanas, a Justiça Federal havia concedido liminar suspendendo o prazo. A Souza Cruz alega que as imagens não são realistas. O mérito da causa ainda será julgado.Em São Paulo, por 53 votos a favor e 11 contra, a base do governo na Assembleia Legislativa colocou o projeto que proíbe totalmente o fumo em locais fechados públicos e particulares na frente de outros 1.985 que tramitam em regime de urgência. Assim, a proposta será votada hoje. Segundo o líder do PT, deputado Rui Falcão, o caminho para reduzir o número de fumantes é o aumento de impostos.