Lula diz que gripe suína não é ''do tamanho que parecia''; OMS rebate

Jamil Chade, Lisandra Paraguassú e Lígia Formenti - O Estado de S.Paulo

Em programa de rádio, presidente afirma que doença foi vendida como se tivesse ''tomado conta do mundo''

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva minimizou ontem o alcance da epidemia de gripe suína, que tem 8 casos confirmados e 22 suspeitos no País, dizendo que ela não é do tamanho "que se vendeu". Questionado, o porta-voz da Organização Mundial da Saúde (OMS), Gregory Hartl, rebateu, afirmando que é cedo para dizer se a doença não se espalhará ou se permanecerá suave. Acompanhe o noticiário sobre o vírus e os casos"Acho que essa gripe não é do tamanho que parecia que ia ser, porque se vendeu uma gripe que já tinha tomado conta do mundo inteiro. Eu penso que ela existe, é grave, mas aqui no Brasil nós estamos cuidando para evitar que se alastre para outras pessoas", disse Lula no programa Café com o Presidente. Já o porta-voz da OMS afirmou que, "na avaliação médica, não podemos ainda baixar a guarda". Segundo Lula, não há razões para pânico. "Precisamos é ter cuidado, e isso o Ministério da Saúde está trabalhando."Lula disse que a entrada de pessoas no País está sendo fiscalizada "e as que estão com o vírus, algumas já estão totalmente curadas, outras ainda estão em observação". O presidente afirmou ainda que "os cuidados do ministério vão redobrar nos próximos dias". "A gente vai intensificar a vigilância e, ao mesmo tempo, intensificar o tratamento das pessoas doentes."Para a OMS, há risco de surtos aparecerem no inverno no Hemisfério Sul. Não há garantia de que os casos continuarão suaves nem está descartada pandemia. "Os governos precisam estar preparados, reforçar a vigilância e, com a chegada em breve do inverno no Hemisfério Sul, esperamos aumento de casos", alertou Hartl. O último boletim do Ministério da Saúde, divulgado ontem, apontava 22 casos suspeitos no País. No Rio, três pacientes com a doença permaneciam internados. Um deles, o jovem de 21 anos que viajou para o México, deve receber alta amanhã. Um amigo do jovem, também infectado, está com pneumonia viral e apresentou melhora no quadro respiratório. Já a mãe dele, considerada um caso de transmissão autóctone (dentro do Brasil), está com quadro estável.O ministério anunciou que está negociando a compra de um lote pronto de Tamiflu suficiente para tratar 800 mil pacientes com gripe suína. A transação faz parte da estratégia de garantir um estoque seguro de remédio para uso imediato sem que seja necessário abrir tanques do pó do produto comprado em 2006.SAIBA MAISO que é a influenza A(H1N1)? Doença respiratória aguda causada pelo vírus A(H1N1) - novo subtipo do vírus da influenza, a gripe comumComo é transmitida?Por meio de tosse ou espirro e de contato com secreções respiratórias de infectadosQuais são os sintomas?Febre alta e repentina (maior que 38°C) e tosse. Pode ocorrer dor de cabeça, dores musculares e nas articulações e dificuldade respiratóriaO que fazer se há suspeita de estar com a doença?Se a pessoa esteve em um dos países em que o vírus está circulando ou teve contato com alguém contaminado e esteja apresentando os sintomas, deve permanecer em repouso e tomar bastante líquido. Também deve evitar o contato com outras pessoas. Ligue para um médico ou unidade de saúde. Caso tenha de se deslocar, cubra o nariz e a bocaComo prevenir?Ainda não existe vacina específica contra o vírus, então evite contato com pessoas doentes, com febre ou tosse; lave as mãos frequentemente; alimente-se e descanse bem, para fortalecer as defesas naturais do corpoComo é o tratamento?Há um medicamento antiviral (fosfato de oseltamivir) disponível na rede pública que será usado por recomendação médica