Lista de serviço inclui resumo de notícia e aluguel de laptop

Emilio Sant?Anna - O Estado de S.Paulo

Hospitais de SP oferecem cada vez mais serviços para atender pacientes

O acesso à internet sem fio é apenas um dos serviços que os hospitais costumam oferecer a quem não quer , ou não pode, se separar do trabalho. No Hospital do Coração (HCor), na região da avenida Paulista, em São Paulo, além de se manter conectado, o paciente pode receber todas as manhãs um resumo das principais notícias do dia. O mesmo vale para a cotação do dólar ou o fechamento da Bolsa de Valores.Para tanto, basta pedir a um dos quatro funcionários da comissão de hotelaria do hospital. Cada um deles é responsável pela recepção e por providenciar tudo o que o paciente e seu acompanhante necessitarem. Os pedidos vão desde a entrega diária de jornais, aluguel de notebook e resumo de notícias, até a orientação sobre academias e restaurantes que os acompanhantes podem querer frequentar na região. Caso algum deles queira receber o jantar no quarto do hospital, enquanto faz companhia ao paciente, isso também pode ser providenciado pela equipe. "Tudo é feito para que o paciente e seu acompanhante tenham o mínimo de incômodo possível", diz o gerente de hotelaria do HCor, Domenico Caruso. O serviço que o HCor e outros hospitais prestam, no entanto, não tem o único objetivo de providenciar mordomias aos ocupantes de seus quartos. Mesmo que o hospital pouco se pareça com um serviço de saúde tradicional - que normalmente têm paredes brancas e longos corredores -, a chegada a esse ambiente sempre causa estranheza ao paciente. A função da comissão de hotelaria, assim que o paciente se interna, é fazer com que a pessoa se sinta o mais confortável possível e muitas vezes intermediar a relação com os médicos. Para o advogado tributarista, Erasmo Bardi, de 73 anos, quem fez essa função foi o assistente de hospitalidade Thiago Gonçalves Netto.Quando a filha e acompanhante de Bardi no hospital, Isabel Albertina Franzini Bardi precisou fazer sua inscrição para a prova da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e pagar a taxa em um banco, foi Gonçalves que a ajudou a conciliar a obrigação com a atenção ao pai.Bardi também precisou dos serviços do assistente de hospitalidade. Internado desde o começo da semana, no dia em que chegou precisou fazer uma petição urgente para um de seus clientes. Gonçalves providenciou tudo o que o advogado precisava para receber seu sócio no quarto do hospital e de lá fazer o serviço. "Consegui fazer meu trabalho daqui e minha filha não precisou nem sair para fazer a inscrição na OAB", diz. O mesmo tipo de serviço aos pacientes presta a coordenadora de internação e hospitalidade do Hospital Samaritano, Gladys Antonioli. No Samaritano, os notebooks podem ser alugados por R$ 40 por dia, e mesmo que todos estejam sendo usado, a equipe providencia outro. "Normalmente, o paciente que precisa ter acesso à internet já traz de casa seu próprio notebook, mas se ele não trouxer nós providenciamos" , garante Gladys.