Laboratório suspende a venda do Acomplia

Paris - O Estado de S.Paulo

O medicamento Acomplia (rimonabant), do laboratório francês Sanofi-Aventis, usado para tratar obesidade, será retirado do mercado no Brasil e em pelo menos 18 países da União Européia (UE).Em agosto, a Agência Francesa de Segurança Sanitária afirmou que o medicamento pode levar à depressão e a pensamentos suicidas. Ontem, a Agência Européia de Medicamentos (Emea, na sigla em inglês) recomendou a suspensão alegando que os benefícios potenciais do remédio não compensam os riscos que ele tem apresentado.DOBRO DE RISCOEm comunicado, a Emea afirma que pacientes obesos que tomam o Acomplia têm o dobro de risco de desenvolver desordens psiquiátricas quando comparados àqueles que tomam uma substância inócua (o chamado placebo).O Acomplia é comercializado em 32 países. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a decisão de determinar a suspensão no Brasil partiu do próprio laboratório, até que mais informações sobre os riscos do produto sejam devidamente avaliadas. Seu registro, esclarece a agência, continua válido.Em nota, o laboratório Sanofi-Aventis afirma que "acata a recomendação das autoridades européias de suspender temporariamente a comercialização do Acomplia" e pede aos clientes que procurem seus médicos para discutir o tratamento. Mais de 700 mil pessoas tomaram o Acomplia no mundo.RECUONo ano passado, o laboratório Sanofi-Aventis havia retirado o pedido de aprovação de seu remédio no mercado dos Estados Unidos. Um painel de especialistas associou o rimonabant a um incremento de casos de depressão.O laboratório afirma ainda que vai retomar os trâmites para aprovação pelo FDA, a agência americana responsável pela regulação de alimentos e medicamentos.COM AFP