Justiça condena médico por atentado violento ao pudor em Mato Grosso

- O Estado de S.Paulo

Um médico de cerca de 60 anos, de Água Boa, município de 20 mil habitantes no Estado de Mato Grosso, foi condenado a um ano e sete meses de prisão por atentado violento ao pudor. A sentença foi proferida neste mês pelo Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso (TJ-MT) e a pena convertida em pagamento à vítima de uma quantia equivalente a 50 salários mínimos, além da prestação de serviços comunitários. O médico foi condenado por molestar uma de suas pacientes dentro de seu consultório, em 2005. De acordo com o depoimento da vítima, o médico teria trancado a porta e colocado um biombo na frente para impedir a entrada de outras pessoas. Durante a consulta, ele teria mandado a mulher tirar suas roupas e depois a molestado. Esse, no entanto, parece não ser um caso isolado. Durante as investigações, outras três supostas vítimas também procuraram a Justiça do Estado alegando terem sofrido abuso sexual do mesmo médico. A forma de abordagem descrita pelas mulheres em todos os casos é igual. A paciente ia ao consultório e era instruída a tirar suas roupas. Assim que o médico se aproximava, ela era molestada. O processo corre em segredo de justiça e o advogado do médico afirma ter recorrido da decisão do TJ. Como ainda aguarda o julgamento do mérito da condenação, o médico continua trabalhando normalmente.