Júlio Mott, de 34 anos, médico

- O Estado de S.Paulo

"Atividade física, para mim, é fundamental, por estar relacionada ao meu bem-estar. Faz com que eu não me canse tanto no trabalho, já que faço várias cirurgias por dia. Mas o resultado está na parte estética, é claro. Ver as mudanças do corpo serve como estímulo para criar metas como emagrecer, ficar mais forte. Alcançar esses objetivos dá uma sensação boa de conquista. Faço musculação com personal, corro nos fins de semana em que não estou de plantão, faço dieta balanceada. Mas não sou neurótico, embora veja cada vez mais homens assim. Há caras da minha idade que ficam bombados, se depilam para mostrar mais os músculos. Mesmo assim, somos menos obsessivos com as formas perfeitas do que as mulheres."