Italiana em coma terá alimentação reduzida

EFE - O Estado de S.Paulo

O neurologista que cuida da italiana Eluana Englaro, em coma desde 1992 e que, a pedido de seu pai, amparado por uma decisão judicial, deverá deixar de ser alimentada para poder morrer, afirmou que a partir de hoje a alimentação da paciente poderá começar a ser reduzida. Segundo o médico, a mulher não passará sede devido ao estado de coma vegetativo, mas, caso seja necessário, ela poderá ser sedada.