Irã proíbe peregrinação a Meca durante o Ramadã

Efe, TEERÃ - O Estado de S.Paulo

O Irã exigiu que seus cidadãos se abstenham de peregrinar aos locais sagrados na Arábia Saudita durante o Ramadã, mês em que os muçulmanos jejuam, para evitar a possibilidade de contágio pelo vírus da gripe suína. Quem anunciou a determinação foi o vice-ministro da Saúde, Hasan Razavi. No mês passado, o ministério da Saúde do Irã já havia recomendado aos fiéis que evitassem a viagem a Meca e a Medina, depois que vários peregrinos que voltavam desses locais foram diagnosticados com a gripe. A visita às duas cidades é um dos cinco pilares do Islã e um dever que todo muçulmano deve cumprir pelo menos uma vez na vida, desde que a saúde ou a condição financeira permita. A peregrinação cresce no Ramadã.Segundo as autoridades iranianas, pelo menos 145 pessoas foram contaminadas pelo vírus A(H1N1) desde junho, quando o primeiro caso foi identificado. A imprensa local informou anteontem a primeira morte no país causada pela doença, notícia que foi desmentida em seguida pelas autoridades.