Ioga: equilíbrio de corpo e alma

Eduardo Diório, do Jornal da Tarde - O Estado de S.Paulo

Em alta no País, a prática tem conquistado uma legião de fãs em busca de bem-estar para o físico e para o espírito

Atividades físicas são comprovadamente importantes para a saúde do corpo e da mente, mas nem sempre dá para encontrar um tempinho livre - e força de vontade - para praticá-las. No entanto, como o corpo humano não é feito de ferro, em algum instante passará a dar sinais de que algo está desajustado. É nesse momento que muita gente tenta deixar o prejuízo de lado e exagera na malhação. Há uma turma que, a fim de evitar que o corpo enferruje antes da hora, aposta na ioga como solução para revitalizar o físico e também para aquietar os pensamentos. "Ioga não é somente exercício físico, é uma atividade que une o corpo, a mente e o espírito. Ao se libertar da sensação de querer ser um modelo de beleza, a pessoa se torna ainda mais bonita e passa a refletir um espelho belíssimo", explica Flávia Lippi, apresentadora do programa Repórter Eco, da TV Cultura, e professora e coordenadora do Yoga Spa Jaya Lahshmi Ashram (4702-8828). De acordo com Flávia, o caminho a trilhar para entender um pouco mais sobre a prática milenar indiana é simples: desenvolver o autoconhecimento e mudar alguns hábitos, como a alimentação e a forma de enxergar o próximo. "Após as primeiras aulas, o aluno passa a sentir qual é a sua responsabilidade perante o planeta", acredita. A lista de obrigações não é extensa, mas para alguns iniciantes deve ser bem difícil cumpri-la. Álcool e cigarro não são aconselháveis. A carne, por exemplo, tem de ser cortada da dieta. "Somos vegetarianos para a preservação da vida, para não ingerir a morte. É uma questão filosófica. Na Índia, todos os professores são vegetarianos. Por aqui, não dá para saber." Sucesso mundial Pode parecer difícil seguir as exigências, mas nos últimos anos houve um boom da ioga no Brasil, atraindo anônimos e famosos, como o ator Rodrigo Santoro e a apresentadora e atriz Fernanda Lima. Com a popularização, alguns seguidores acreditam que a essência da prática se perdeu. Outros, como Ma Prem Adarsha, instrutora do Espaço Girassol (3034-4449), pensam de outra forma. "Houve uma adaptação natural das culturas, o que não prejudica o fundamento. Talvez isso apenas facilite a decodificação de alguns conceitos tão longe dos nossos", opina.  Segundo a instrutora, as pessoas passaram a procurar a ioga para combater doenças psicossomáticas (aquelas desencadeadas por conflitos emocionais), sem fazer uso de remédios. "Hoje em dia, muitos alunos praticam ioga não só como prevenção, mas também como forma de terapia", explica Ma Prem Adarsha. "Normalmente, a depressão está associada à fixação em fatos passados ou ansiedade de resoluções para o futuro. A ioga ensina a viver o agora, o presente, e a dissolver tensões relacionadas aos nosso padrões habituais de pensamento", explica Andrea Rodrigues Alves, terapeuta ayurveda, professora de ioga e diretora do Jaya Spa ( 3848-0726). No planeta, de acordo com os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 100 milhões de pessoas sofrem de depressão.  No livro Diálogos com Yogananda (Editora Nova Era), que apresenta mensagens do importante mestre espiritual Paramhansa Yogananda, é possível desvendar alguns mistérios que permeiam a ioga e a sua filosofia. Quando o assunto é depressão, o mestre é categórico e garante que "a maioria das pessoas vive no passado, com nostalgia ou arrependimentos, ou no futuro, com esperanças e medos que são frutos do desejo. O segredo da vida é aprender a viver completamente ciente da alegria presente". Na prática, a ioga busca levar consciência às posturas. "Se você estiver focado em cada parte do esqueleto, deixando a musculatura ativa e equilibrando esforço e entrega, conseguirá esvaziar a sua mente de pensamentos negativos, por um minuto que seja", explica Andrea. Para a terapeuta, feito isso, já se pode começar a engatinhar no difícil processo de domínio do pensamento. Melhor método Caso o primeiro passo já tenha sido tomado e você esteja prestes a se matricular em uma academia ou escola de ioga, agora resta decidir qual é o estilo que tem a ver com o seu perfil e objetivos. Com a proliferação da técnica, as opções se multiplicaram, criando uma verdadeira salada de nomes: hatha, power, ashtanga, iyengar, raja e kundalini ioga. Não vá desanimar só por causa da caligrafia complicada. No quadro ao lado, é possível conhecer detalhadamente os tipos mais aplicados no Brasil. Vale ressaltar que grande parte das variações ensinadas são ramificações do hatha ioga - que trabalha principalmente a parte física durante a aula. "Existe uma única forma, mas com variações feitas pelos ocidentais. De modo geral, ioga é uma coisa só, é religação. Para encontrar a libertação, iluminação e alegria interior, existem vários caminhos diferentes, mas a busca é a mesma. A power ioga, por exemplo, não existe na Índia. Cada um inventa um nome, só que a fonte de sabedoria tem que ser a mesma", argumenta Flávia Lippi. Mesmo entre tantas adaptações, há algo em comum - e muito importante - entre os diversos estilos: a respiração. "Se você respira mal, ficará cansado e não conseguirá chegar ao final da aula. A respiração é primordial", diz Flávia, que explica didaticamente o passo-a-passo: "Faça três respirações profundas soltando o ar pelo nariz. Feito isso, continue respirando pelo nariz e conte até quatro. Encha a barriga de ar e solte pelo nariz, enchendo o peito". O instrutor de ioga da Iniciato (3037-7218), Leandro Percário, formado pela Associação Nacional de Yoga Integral, explica que o ser humano respira, em média, 15 vezes por minuto. "Mais do que esse valor, a pessoa está ansiosa. Para acalmar o estado emocional e mental é só soltar o ar bem devagar, até chegar a 10 respirações por minuto. É uma tarefa que não se aprende de um dia para o outro. É preciso muito treino e paciência para dar certo", explica. Investimento A pedagoga Maria Aparecida Gomes de Almeida, de 44 anos, morava no interior de São Paulo e assistia na televisão a vários programas que ensinavam exercícios básicos da ioga e técnicas para respirar corretamente. Sempre curiosa, não encontrava na sua região uma escola em que pudesse praticar a técnica. No ano passado, ao ter de se mudar para a Capital, matriculou-se em uma escola perto de sua nova casa. "Foi a melhor decisão que tomei na vida e é o dinheiro mais bem pago que existe. É como se fosse um investimento de longo prazo para o meu bem-estar físico e mental", garante ela. Maria Aparecida confessa que, no começo, não foi fácil acompanhar os colegas de classe. "Nunca tinha feito exercício de alongamento e foi bem complicado segui-los nas primeiras semanas. Mas, com o passar do tempo, peguei o gosto e o jeito para a coisa e arrasei. Agora, não consigo mais viver sem a minha série de exercícios e não sou mais estressada", confessa a pedagoga. Principais modalidades de ioga A terapeuta ayurveda, professora de ioga e diretora do Jaya Spa, Andrea Rodrigues Alves, selecionou algumas das principais modalidades de ioga que são ministradas no País e explicou detalhadamente para quais pessoas elas são indicadas e quais são os principais benefícios que elas trazem para corpo, mente e espírito. HATHA IOGAA técnica inclui ásanas (posturas), pranayama (respiração) e mudras (gestos com as mãos), juntamente com as práticas de limpeza, chamadas krias. Trabalha especificamente com o corpo físico porque se dirige ao funcionamento de todas as células, tecidos, órgãos e sistemas. Busca o equilíbrio do corpo como facilitador do equilíbrio e a integração na totalidade do ser. HATHA IOGA CLÁSSICAPrática de hatha ioga que inclui ásanas, paranayama e meditação em três etapas distintas, com pouca permanência nas posturas ao longo da aula. É recomendado para todos os biotipos e idades. ASHTANGA VYNIASATécnica de hatha ioga desenvolvida por Patabhi Jois, que prioriza a seqüência de determinadas ásanas, bem como a interligação e a fluidez dos movimentos. É mais recomendada para quem já possui algum tipo de atividade física. IYENGARTécnica de hatha ioga desenvolvida por B.K.S.Iyengar que prioriza o alinhamento dos ásanas e a consciência dos sistemas como esquelético e muscular. Utiliza-se de alguns equipamentos e é recomendada para todos os biotipos. POWERTécnica de hatha ioga criada nos Estados Unidos, que une algumas das outras técnicas. Baseia-se, principalmente, na Ashtanga, mas dá ao professor a liberdade de montar a seqüência de ásanas. Traz grandes resultados estéticos e é mais voltada para o público de academias. RAJA IOGASignifica ioga real ou nobre. É baseada na meditação e, por isso, para alguns instrutores, é considerada a forma mais elevada da prática. Para o ocidental, é uma técnica bastante difícil, uma vez que o corpo físico cria grande resistência na prática de meditação. Engloba preceitos éticos, qualidades a cultivar etc. KUNDALINI IOGAEsse tipo de modalidade trabalha, principalmente, com o corpo de energia. É o estudo experiencial dos chacras (centros de energia presentes no corpo humano) e da nadis (canais de energia do corpo). Alivie a menteFlávia Lippi revela 5 preciosas dicas1. Preste atenção em seus pensamentosOs pensamentos têm uma enorme força sobre a sua vida. Se você tem mais pensamentos negativos, isto demonstra que sua vida vai mal e as pessoas e situações que você atrai também estão na mesma sintonia que você. 2. Crie metasTenha objetivos materiais e espirituais. Busque sempre melhorar a sua condição financeira, mas lembre-se: nunca dependa dessas conquistas para viver emocionalmente bem. 3. Use seus talentosVocê tem dons e talentos. Descubra quais são eles e comece a colocá-los em prática. A saúde física e a emocional dependem muito desses talentos. 4. Aceite a vidaPare já de reclamar! Volte sua mente para o que a vida oferece de bom. Aceite viver nesse planeta e curta a viagem da melhor maneira. Lembre-se de que ela tem fim. Faça bom proveito! 5. Divida a vida com a naturezaPelo menos uma vez por mês, faça uma visita à natureza. Ela tem o poder de purificar as células e acalmar o espírito. O mar neutraliza as energias negativas.