Instituição tem papel na política externa de Lula

- O Estado de S.Paulo

O presidente Lula retornou de sua última incursão à África, em outubro, citando a abertura do escritório africano da Fiocruz. A instituição está se consolidando como um instrumento decisivo na política externa, que privilegia a aproximação com países menos desenvolvidos, sobretudo na América do Sul e na África. Além da competência técnica, a Fiocruz foi a instância federal escolhida para esse papel diplomático por ser considerada imune às interferências partidárias a que está sujeito o Ministério da Saúde. A autonomia é garantida pela eleição interna para os mandatos de direção.