Incor retoma transplantes em crianças

Fernanda Aranda - O Estado de S.Paulo

Após nove meses sem registrar nenhuma doação de coração para crianças, o Instituto do Coração (Incor) realizou ontem, com sucesso, dois transplantes infantis. O primeiro deles foi feito em Nélio Alexandre, de 2 anos. Ele recebeu o órgão de um garoto seis anos mais velho, que teve morte cerebral. Menos de doze horas depois, Giovana, de 6 anos, foi beneficiada com um coração doado por uma adolescente de 12 anos. "De janeiro a setembro, perdemos sete crianças, todas menores de 10 anos, que não resistiram à espera", diz o diretor do Setor de Transplante Infantil do Incor, Miguel Barbero Marcial. "Além da falta de doação, o coração, diferentemente do fígado, rim e outros órgãos, é mais sensível e precisa de transporte, notificação e atendimento imediatos".