Idosa teve de recorrer à Justiça

Fabiane Leite - O Estado de S.Paulo

Plano se recusou a cobrir gastos com cirurgia ocular

Victória Madid, de 85 anos, viveu a maior parte da vida sem plano de assistência médica, até porque era funcionária do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo. Só decidiu ter um quando chegou aos 65 anos, influenciada por uma tia, que chegou aos 100. "Viver muito é um mal de família", diz. A aposentada decidiu, então, contratar um plano da Itauseg que só cobre a área hospitalar.Tudo correu bem até o momento em que teve de realizar uma cirurgia ocular e o plano se negou a cobrir, dizendo que não teria direito por não ter ficado internada - o procedimento ocorreu em um hospital-dia,afirma ela."Outra vez veio um valor mais alto, não sei muito como lidar com isto, aí a Renata achou que não estava certo e diminuíram", conta Victória, que apelou à advogada Renata Vilhena Silva nos dois casos. Afirma ter conseguido manter a mensalidade de R$ 544,70 em vez dos cerca de R$ 700 cobrados pela empresa. Também diz que foi reembolsada pela cirurgia, mas tem medo de novas exclusões.Mesmo assim, Victória não quer adaptar o plano para a lei atual. "A única vez que me propuseram, achei muito caro", diz ela. "Eu oriento a não trocar, porque é mais caro e, se ela entrar na Justiça, ganha com certeza", diz a advogada Renata. Em nota, a Itauseg disse que o aumento foi definido com aval da ANS e que Victória foi reembolsada pela cirurgia.Outro caso é o de Oswaldo Barboza, conveniado há mais de 20 anos da Classes Laboriosas. Em novembro ele foi internado com dores no abdômen e diagnosticado com diverticulite. O exame de tomografia foi negado, pois teria excedido a cota do plano. Quando ele estava internado, a família recebeu um telefonema da empresa terceirizada que audita as internações, insistindo que ele deveria ir para casa, segundo conta a filha, Adriana Barboza.Ele foi, mas o plano não cobriu nenhum dos equipamentos que ele precisava para se recuperar. No último dia 22, Barboza morreu. A Classes Laboriosas informou conhecer os problemas dos seus 19 mil usuários de planos antigos e que levará à assembleia em breve proposta para que todos paguem um pequeno valor na mensalidade para ter ampliação de cobertura.