Identificados líderes de ato no PA

João Domingos - O Estado de S.Paulo

O governo já identificou os líderes de madeireiros e fazendeiros que desmatam ilegalmente a Amazônia e têm incitado a população a atacar agentes da Polícia Federal e do Ibama na véspera da deflagração da Operação Arco de Fogo, nome dado à grande mobilização repressiva planejada para os próximos dias. Os nomes e endereços de todos estão com a PF. Assim que a operação começar, devem ser presos se insistirem em resistir à ação do governo.Depois de assistirem a filmes dos tumultos ocorridos desde terça-feira na cidade de Tailândia, cerca de 150 km ao sul de Belém, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Jorge Félix, delegados da PF, agentes do Ibama e da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), além de representantes do Ministério da Justiça, trataram ontem dos últimos preparativos para a operação. Foi decidido que os agentes deverão evitar conflitos com a população. Uma das formas será tentar fazer com que a população fique ao lado das forças de segurança. Os madeireiros têm dito que o governo promove desemprego ao fechar serrarias. O governo deverá responder que são os madeireiros que provocam desemprego, uma vez que destroem a floresta.A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, lembrou ontem que conflitos por causa da repressão à derrubada da floresta são comuns. "De certa forma, já temos know-how em lidar com tumultos como esses que ocorreram em Tailândia. Graças a Deus e a muito trabalho, em nenhum caso aconteceram problemas de violência. Claro que temos tido o cuidado de retirar nosso pessoal do sufoco assim que há confusão."