Hominídeo tinha passo parecido ao de humanos

Herton Escobar - O Estado de S.Paulo

Rastro de 1,5 milhão de anos indica semelhanças na anatomia do pé

Cientistas descobriram no norte do Quênia os rastros mais antigos de hominídeos que já caminhavam de maneira "moderna", com postura ereta e anatomia do pé muito semelhantes às dos seres humanos atuais. Em três anos de escavações na região de Ileret, próximo ao Lago Turkana, os pesquisadores identificaram e estudaram mais de 20 pegadas humanas fossilizadas. Eles acreditam que as marcas foram deixadas por indivíduos da espécie Homo erectus, quando caminhavam por um terreno arenoso inundado, 1,5 milhão de anos atrás.A descoberta é mais uma peça no quebra-cabeça que tenta explicar a evolução da anatomia e da postura humana. As características das pegadas - que foram fotografadas e escaneadas digitalmente - indicam que ancestrais humanos do gênero Homo já caminhavam de forma ereta há pelo menos 1,5 milhão de anos. Seus pés e sua maneira de pisar, pelo menos, já eram essencialmente iguais à do homem moderno, apesar de o Homo sapiens só ter se desenvolvido por completo cerca de 200 mil anos atrás."O pé humano é nossa adaptação mais marcante", afirmam Robin Crompton e Todd Pataky, da Universidade de Liverpool, que comentam o estudo na edição de hoje da revista Science. Segundo eles, as pegadas de Ileret são quase "indistinguíveis" das de um homem moderno.Estudos baseados em esqueletos fósseis indicam que o bipedalismo já existia entre ancestrais primatas da linhagem humana 6 milhões de anos atrás. Caminhar sobre duas pernas, porém, não é sinônimo de caminhar ereto, e muitas adaptações evolutivas ainda foram necessárias para dar ao homem a sua postura atual.O pé humano é caracterizado por um calcanhar robusto, com um arco medial acentuado e um dedão mais curto, alinhado com os outros dedos do pé - adaptado para caminhar grandes distâncias. A pisada começa pelo calcanhar, passa pela lateral do pé, aprofunda-se na bola e termina com um impulso do dedão. Muito diferente do pé de um chimpanzé, que é chato, largo e tem o dedão alongado, apontando para fora, como se fosse uma mão - adaptado para agarrar galhos e subir em árvores.Segundo o pesquisador Matthew Bennett, da Bournemouth University (Reino Unido), que liderou a pesquisa, a equipe tem de 80% a 90% de certeza de que as pegadas de Ileret foram feitas por hominídeos de anatomia e postura essencialmente moderna. Os rastros estão alinhados em quatro trilhas, além de várias pegadas isoladas, misturadas a pegadas de animais. Os cientistas estimam que os indivíduos tinham cerca de 1,75 metro de altura, com a exceção de uma criança, de 90 centímetros.Todas as evidências são compatíveis com as características do Homo erectus, que viveu entre 1,8 milhão e 50 mil anos atrás. "As pegadas se encaixam perfeitamente no modelo que temos da evolução humana", diz o biólogo Danilo Bernardo, do Laboratório de Estudos Evolutivos Humanos da Universidade de São Paulo (USP). "O Homo erectus deu o primeiro grande salto na direção de uma anatomia semelhante à nossa. Ele perdeu definitivamente as características arborícolas e adotou o bipedalismo como postura obrigatória."Antes disso, já havia hominídeos bípedes, mas com postura e anatomia mais primitivas. Um rastro de pegadas mais antigo é o de Laetoli, na Tanzânia, descoberto na década de 70 e datado em 3,75 milhões de anos. Cientistas acreditam que elas foram feitas por dois indivíduos da espécie Australopithecus afarensis, um ancestral distante da linhagem humana que viveu entre 4 milhões e 3 milhões de anos atrás - e que já era bípede. O estudo comparou as pegadas de Ileret com as de Laetoli e de humanos modernos (3.600 anos), além de um segundo sítio de Homo erectus no Quênia, reescavado pela equipe. NÚMEROS20 pegadas humanasfossilizadas na região de Ileret, próximo ao Lago Turkana (Quênia), foram identificadas e analisadas pelos pesquisadores1,75 metroera a altura média dos indivíduos; evidências são compatíveis com características do Homo erectus