Guitarrista dos Mutantes critica Zélia Duncan

Lauro Lisboa Garcia - O Estado de S.Paulo

Em comunicado, Sérgio Dias diz que grupo é maior que seus integrantes

Zélia Duncan, como Mutante, foi uma decepção. Quem afirma é o guitarrista Sérgio Dias, que enviou comunicado à imprensa ontem justificando aos fãs por que os Mutantes silenciaram no ano passado, depois de concorridos shows em Londres, Los Angeles, Nova York, Milão e São Paulo, com a participação da cantora.O guitarrista também se desentendeu com o irmão Arnaldo Baptista, que, como Zélia, já não faz mais parte do grupo. ''Fiquei e estarei de luto por Arnaldo e com Zélia creio que me apressei ao julgá-la uma Mutante... Ela parecia tanto sê-lo, mas descobri que em vez de Mutante ela é uma Transformer'', diz a declaração. ''Ela serviu para provar que Mutantes é maior do que qualquer um de seus membros individuais'', prossegue.Dias diz que a lendária banda que formou com Rita Lee e Arnaldo nos anos 60 - um dos pilares do movimento tropicalista - prossegue com ele e o baterista Dinho, além dos músicos agregados para dar suporte à nova formação de 2006. ''Eles são os Mutantes de hoje'', diz Dias. O principal motivo da discórdia com a Zélia e Arnaldo é que, segundo Dias, os dois não se dispuseram a compor novas canções, como ele previa. ''Tentei desde o começo junto a meu irmão e a Zélia formar um núcleo de criação, mas foi infrutífero.''O reencontro com Tom Zé, outro parceiro tropicalista já rendeu uma canção, Mutantes Depois, gravada com participação do cantor inglês Devendra Banhart. ''Sim, estamos muito vivos e viemos para ficar.''