Gripe pode aumentar risco de neuropatia

Alexandre Gonçalves - O Estado de S.Paulo

Estudo com cobaias e influenza aviária mostra ação do vírus no cérebro

Algumas cepas muito virulentas do vírus da gripe podem atingir o sistema nervoso central e aumentar o risco de doenças neurodegenerativas anos depois da infecção. Foi o que mostrou um estudo publicado hoje na revista científica americana Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).No trabalho, os pesquisadores infectaram camundongos com uma cepa vietnamita do H5N1, responsável pela gripe aviária. Verificaram que o vírus também atingiu o cérebro dos roedores, além dos pulmões e do intestino. Os sobreviventes sofreram acúmulo de proteínas parecido com o observado em pessoas com doenças neurodegenerativas como Alzheimer.Mesmo 90 dias depois da cura, o sistema imunológico continuava em alerta no tecido nervoso. Os cientistas registraram a persistência de um processo inflamatório crônico, semelhante ao encontrado em pessoas com Parkinson. Estudos anteriores já apontavam uma possível relação entre formas graves de influenza e doenças crônicas que, aparentemente, não teriam qualquer relação com a ação viral. Alguns trabalhos correlacionam as pandemias de 1918 e 1957 a um aumento na incidência de problemas neurológicos. Mas as hipóteses estavam baseadas apenas na análise dos cadastros e no acompanhamento de pessoas afetadas pelas pandemias. Faltava descobrir que processos biológicos poderiam levar uma infecção pelo vírus da gripe a quadros de demência.Um dos autores do estudo, Richard Smeyne, do Hospital Universitário Pediátrico St. Jude, nos Estados Unidos, afirma que o vírus A(H1N1), responsável pela atual pandemia, não parece atingir o sistema nervoso central. "Mas é preciso permanecer vigilante: uma cepa relativamente benigna pode sofrer mutações e tornar-se mais agressiva", aponta Smeyne, recordando o caso de quatro pacientes texanos com encefalite, depois de quadros de infecção por A(H1N1). A relação entre as duas doenças não foi comprovada.A infectologista da Unifesp Nancy Belley considera o estudo muito importante. Mas aponta que doenças neurodegenerativas como o Parkinson são causadas por uma conjunção de fatores, que incluem a hereditariedade e aspectos ambientais. O dano causado por infecções virais seria mais um evento que pode aumentar o risco de problemas neurológicos.Tanto Smeyne como Nancy consideram que o estudo reforça a conveniência de imunizar a população contra a influenza.