Governo argentino é acusado de minimizar casos

ARIEL PALACIOS - O Estado de S.Paulo

Desde o início do ano a Argentina tem enfrentado uma epidemia de dengue sem precedentes. Estimativas extraoficiais indicam que mais de 60 mil pessoas foram afetadas pela doença desde janeiro. Nos últimos dois meses especialistas do setor e líderes da oposição criticaram o governo de Cristina Kirchner por não ter tomado medidas urgentes para combater o problema. Dados oficiais indicam que mais de 23 mil pessoas foram afetadas no país. Mas cálculos elaborados por ONGs sustentam que o número chegaria a 47 mil. Ao longo do primeiro trimestre, o governo negou a existência de epidemia, alegando tratar-se apenas de "um surto". A expansão acelerada da doença do norte para o sul - que provocou o surgimento de casos nas grandes cidades - colocou a ministra da Saúde, Graciela Ocaña à beira da demissão.