Fiocruz diminuirá ritmo de produção da vacina no País

Lígia Formenti e Efe - O Estado de S.Paulo

O presidente da Fundação Oswaldo Cruz, Paulo Buss, afirmou ontem que o ritmo de produção de vacina contra febre amarela deverá ser reduzido. "Os índices de vacinação em áreas de risco são muito bons. Praticamente todos os habitantes já estão protegidos", disse.No Paraguai, o governo estuda decretar um dia de feriado para realizar a vacinação em massa contra a febre amarela. Neste fim de semana, o país deve receber cerca de 2 milhões de doses de vacina da Organização Mundial da Saúde (OMS). O lote se somará às 800 mil doses enviadas pelo Brasil, às 144 mil do Peru e às 100 mil que chegaram na quarta-feira da Venezuela. O Paraguai notificou à OMS sete casos da doença e 27 ainda estão à espera de confirmação.A Bolívia, país que não registrou nenhum caso da doença, decretou ontem "alerta vermelho", devido aos casos detectados no Brasil e no Paraguai. O alerta reforça o controle nas regiões vizinhas ao Brasil e ao Paraguai e recomenda a vacinação à população de municípios fronteiriços.