Figurino único

- O Estado de S.Paulo

O baixista Du Moreira, de 36 anos, ainda não chegou a um nível de consumo mínimo. Mas decidiu usar o transporte público em São Paulo, depois de ter passado uma temporada de dois anos em Nova York. Ainda que pareça trivial, a decisão impulsionou uma série de mudanças em seu estilo de vida: nunca mais foi ao shopping para fugir do trânsito e, hoje, cozinha mais em casa, ao invés de ir comer fora. Também começou a freqüentar locais como a Avenida Paulista, onde não ia no passado por falta de vagas para estacionar. Ainda mantém o carro, mas só o usa para levar seu equipamento quando tem shows. "Você começa a interagir, encontra pessoas conhecidas na rua, passa a conviver com a cidade realmente", empolga-se. "No carro, o corpo está morto, com a pior postura. Caminhando ou no ônibus, você está mexendo o corpo, esticando o braço." Du é vegetariano e dá preferência para alimentos orgânicos. Há nove anos, adotou um hábito curioso: veste apenas camisetas ou camisas pretas e calça jeans. "É um figurino simples, que serve para todas as ocasiões", justifica ele, que se irritava quando perdia tempo escolhendo roupas antes de sair de casa. Inspirou-se em figuras como o jazzista norte-americano John Zorn, que também adotou essa prática. "Agora tenho menos roupas."