Fãs cantam e dançam na Avenida Paulista

Gilberto Amendola - O Estado de S.Paulo

Grupo de cerca de 50 brasileiros homenageou o cantor no Masp

Pouco mais de 50 fãs brasileiros de Michael Jackson fizeram ontem uma homenagem ao cantor na frente do Masp, na Avenida Paulista. A mobilização começou a ser arquitetada logo depois da confirmação da morte do artista - por meio de um fórum na internet. Alguns fãs participaram caracterizados. Outros levavam cartazes, revistas e até toalhas com o rosto do cantor. Ao som do Billie Jean e Thriller, sósias também arriscavam passos desajeitados e alguns gritinhos (marca registrada do ídolo). Quem passava em frente ao Masp manifestava-se de alguma maneira: "Tanta gente ruim, tanto político ladrão, foi morrer justo um homem tão querido", comentou uma mulher. "Estão atrapalhando a calçada e o trânsito só pra homenagear um pedófilo", rebateu um skatista que passava pelo local. Foram dois momentos marcantes. A graciosa dança de Carlinhos, de 8 anos, que começou a gostar de Michael Jackson graças aos discos de sua mãe e o moonwalker coletivo - dança em que Michael andava para trás arrastando os pés - que encerrou o encontro. A fã Talita Peres de Almeida, 20 anos, disse que só ontem, depois de um longo abraço e muitas lágrimas, a tragédia tornou-se palpável. "Ele morreu mesmo. Ainda não entendi, ainda não acreditei, mas ele morreu de verdade", contou ela, que foi a organizadora da homenagem. "A gente está aqui para se apoiar, chorar junto e tentar encontrar forças de algum lugar." A dentista Vanessa Monteiro, de 27 anos, estava desolada. Ela já havia garantido sua ida aos novos shows: a passagem estava comprada, o hotel, reservado e os ingressos, pagos para duas apresentações que Michael Jackson faria em Londres em julho. "Agora, não sei o que vou fazer. Talvez fique com eles, como recordação", conta. Em Paris, mais de mil fãs de Michael se reuniram embaixo da Torre Eiffel. A maioria cantava e dançava músicas do ídolo.