Falta registro para antiaids ''''3 em 1''''

- O Estado de S.Paulo

Ainda não há previsão para a chegada ao Brasil do comprimido único contra o HIV. Batizado de Atripla, ele reúne três remédios: efavirenz, emtricitabina e tenofovir, todos fabricados por laboratórios distintos e que entraram em acordo. A droga já estava aprovada nos EUA e anteontem foi anunciada a sua aprovação na Europa.De acordo com Mariângela Simão, ainda não há registro no País de um dos remédios que compõem o tratamento, a emtricitabina, fabricada pela multinacional Gilead Sciences. O registro de uma droga em um país é uma decisão do produtor. Procurada ontem por meio de seu representante em São Paulo, a empresa não se manifestou até o fechamento desta edição, às 20 horas.O tratamento com o comprimido único garante melhor adesão ao tratamento, mas ainda não se sabe se o preço da terapia será acessível para países em desenvolvimento, como o Brasil, que já enfrenta dificuldades para garantir aos pacientes os remédios básicos.