Expulsão não afeta relações

AFP e EFE - O Estado de S.Paulo

A expulsão do britânico Richard Williamson da Argentina, anunciada anteontem pelo governo de Cristina Kirchner, não alterará as relações entre o país e o Vaticano, afirmou ontem o embaixador argentino na Santa Sé, Juan Pablo Cafiero. O novo destino de Williamson, que deve deixar a Argentina em menos de dez dias, será decidido por seus superiores da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, que não contatou o Vaticano sobre o caso.Segundo Cafiero, o Vaticano "entende claramente que foi uma decisão soberana e de aplicação da lei argentina". Williamson é acusado de ter adulterado dados para obter permissão de residência no país, onde morava desde 2003. O Vaticano não comentou a expulsão do bispo, mas ontem o papa Bento XVI pediu uma seleção "rigorosa" dos sacerdotes na América Latina, ao receber uma comissão da região.A expulsão do bispo foi bem recebida por grupos judeus. O presidente do Congresso Mundial Judaico , Ronald Lauder, considerou a decisão "louvável".