Experimento pretende queimar floresta em MT

Jamil Chade, GENEBRA - O Estado de S.Paulo

Cientistas estrangeiros realizarão uma experiência única no Brasil: colocar fogo em uma floresta de 50 hectares no Mato Grosso. O objetivo é saber exatamente o que ocorre quando o fogo gera o desmatamento de floresta tropical, qual o volume de CO2 produzido, qual a flora que sobrevive e em quanto tempo o solo será recomposto. No fundo, o que os cientistas querem saber é como as florestas tropicais vão sobreviver aos fogos cada vez mais frequentes nessas regiões, causados não por fazendeiros querendo abrir terreno para plantar, mas por causa de mudanças climáticas. Hoje, o custo de incêndios nas florestas em todo o mundo já chega a US$ 24 bilhões, seja com a perda de madeira, biodiversidade e mesmo prejuízos a proprietários de terras. Testes como o que ocorrerá em Mato Grosso ocorrem desde 2004, conduzidos pelos cientistas da Woods Hole Research, dos EUA. No Brasil, os testes ocorrerão em uma propriedade da família do governador de Mato Grosso, Blairo Maggi. A queima de floresta tropical se tornou um dos principais problemas enfrentados por países na América Latina, África ou sul da Ásia. Alguns dados apontam que o desmatamento causado pelo fogo é o dobro do causado pelo corte deliberado de madeira por empresas tentando exportar produtos tropicais.Avaliações preliminares indicaram que, ao contrário das temperadas, florestas tropicais reagem de forma diferente a fogo. Por serem úmidas, teriam partes de sua flora mantidas, mesmo em um incêndio natural. Mas a suspeita é de que a vegetação mais baixa não se recupere. O experimento promete ser um evento. O primeiro passo será colocar fogo. Em seguida, outro grupo mede com qual velocidade o incêndio se propaga. Outro trabalho será o de medir as chamas. No fim, os cientistas vão avaliar o que sobrou e ainda quanto foi gerado em termos de emissões de CO2.