Exames devem analisar o sistema

Simone Iwasso - O Estado de S.Paulo

Entrevista - Heloísa Lück: diretora do Centro do Desenvolvimento Humano Aplicado

Doutora em Educação pela Universidade Columbia, nos Estados Unidos, autora de vários livros sobre o tema e atualmente diretora do Centro do Desenvolvimento Humano Aplicado, de Curitiba, Heloísa Lück defende que uma avaliação do trabalho docente só faz sentido quando entendida dentro de um sistema que inclui desde os pais até o secretário da Educação.

Qual a importância de avaliar o professor?

Aos gestores caberia fazer uma avaliação de desempenho dos professores, em caráter amostral, de forma a obter um diagnóstico daqueles aspectos que demandam capacitação. Os sistemas de ensino têm despendido muito dinheiro em programas de capacitação definidos com base no que julgam ser importante, em vez de partir da observação concreta do desempenho docente. Mas nenhuma avaliação será significativa para a melhoria da qualidade da educação enquanto não envolver também a avaliação da gestão do sistema.

Os resultados nos sistemas de avaliações de desempenho dos estudantes no País revelam o trabalho dos professores?

Os resultados oferecem a possibilidade de a escola e os professores conhecerem o que os alunos estão aprendendo e deixando de aprender, de modo a reforçar seu trabalho. Mas um aluno aprende ou deixa de aprender por muitos motivos, que vão desde os socioeconômicos até os de sua saúde e relacionamento com seus colegas. Portanto, o desempenho do professor não pode ser considerado isoladamente para explicar a aprendizagem dos alunos, e vice-versa. Não se pode concluir que a responsabilidade pelos resultados é inteiramente dos professores, o que também não corresponde a dizer que eles não têm responsabilidade.

O Estado de São Paulo está propondo uma prova para avaliar os professores. A cada três anos, os professores com poucas faltas e permanência regular em uma mesma escola podem se inscrever. Os 20% melhores receberão 25% de aumento. Qual sua opinião?

No contexto internacional, a avaliação periódica de conhecimentos dos professores é uma prática comum. Ela se assenta sobre a lógica da necessidade de atualização dos profissionais.